Dicas de Saúde Bucal

Doença Cárie

Sorria com saúde!

É necessário ter saúde bucal para ter qualidade de vida. A prevenção das doenças bucais irá levar à prevenção da maioria das doenças não transmissíveis (cardiopatias, diabetes, obesidade, etc.), pois estas têm fatores de risco comuns; sendo o consumo excessivo de açúcar o principal deles.Prevenir é mais simples do que você imagina. Basta se educar!!

Importância de uma dentição saudável

Mau hálito, dentes feios e estragados, dor de dente e gengivas inflamadas são problemas extremamente prejudiciais ao nosso bem-estar e ao nosso relacionamento com as demais pessoas.

As Doenças Bucais mais comuns são a Doença Cárie e a Doença Gengival, que provocam prejuízos consideráveis à saúde geral, atuando como focos permanentes de infecção. A Doença Cárie estraga os dentes e prejudica a imagem, pois o sorriso é o nosso “Cartão de Visitas”. Dentes saudáveis contribuem para uma boa digestão, manutenção da saúde do corpo, e ainda trazem outros benefícios importantes:

• Boa pronúncia
• Bom hálito
• Contribui para uma vida profissional de sucesso
• Economia
• Favorece o relacionamento social
• Evita problemas ortodônticos
• Bem-estar geral

O ataque da placa bacteriana

A Placa Bacteriana é uma camada viscosa e esbranquiçada, composta por colônias de bactérias, que diariamente se formam sobre nossos dentes a partir de restos de alimentos, principalmente o açúcar. Ela produz ácidos que destroem o esmalte dental causando a cárie; e toxinas, que atacam as gengivas causando as doenças gengivais.

Bactéria + Açúcares = Produção de Ácidos e Toxinas

Evolução da doença cárie

As bactérias aderidas aos dentes produzem ácidos que:

1 Dissolvem o esmalte;
2 A cavidade vai aumentando e os ácidos dissolvem também a dentina;
3 A cárie atinge a polpa, infectando-a;
4 A infecção pode levar a formação de um abscesso e perda do dente.

O dente não é só osso

O dente não é um “pedaço de osso”, mas um órgão vivo, alimentado por meio do sangue e composto de várias estruturas.

Como escovar os dentes

Escovar os dentes pelo menos 4 vezes ao dia deixa os dentes fortes e ajuda manter as gengivas saudáveis.

• Crianças

A criança deve adquirir o hábito de escovar os dentes desde cedo. Comece a escovar seus dentes na frente da criança e presenteie-a com uma escova.

Entre 2 e 7 anos de idade, é importante o auxílio dos pais. De pé, atrás da criança, com a mão esquerda afaste os lábios e bochechas, e com a direita escove os lados dos dentes em movimento circular e a parte que mastiga com movimento de vai e vem. Crianças com mais de 7 anos devem manter os dentes cerrados e escová-los fazendo movimentos circulares nos lados dos dentes. Escovar a parte que mastiga com movimento de vai e vem.

Após 14 anos, deve ser utilizada a técnica recomendada para adultos.

• Adultos

Mova a escova com movimentos de vai e vem de varredura, de cima para baixo superiores) e de baixo para cima (inferiores), aplicando pequena pressão.
Para limpar as superfícies internas dos dentes anteriores, colocar a escova dental
em posição vertical (atravessada em relação aos dentes).

Não se esqueça de escovar também a língua.

Fio dental – uma questão de hábito

O fio dental remove a placa bacteriana e os resíduos alimentares daqueles lugares onde a escova não alcança. O uso do fio dental é fundamental, pois é aí, entre os dentes, que a cárie e as doenças gengivais se manifestam.

Açúcar: o maior inimigo dos dentes

• Limite o consumo de dieta açucarada;
• Faça sempre a higiene bucal após
a ingestão de alimentos açucarados;
• Procure comer doces após as principais refeições, quando existe bastante saliva na boca, facilitando a remoção das partículas de açúcar e diluindo os ácidos das bactérias.

Flúor a melhor defesa

O uso do flúor é muito importante. Ele é um elemento valioso para prevenção
de cáries, tanto em crianças como em adultos. O flúor reduz a dissolução do esmalte e da dentina pelos ácidos das bactérias e ajuda a saliva a proteger os dentes, tornando-os mais fortes e resistentes ao desenvolvimento de cáries. Crianças devem usar pequenas quantidades de creme dental e nunca devem ingeri-lo, pois o excesso de produtos contendo flúor pode ter efeito tóxico.

Orientações odontológicas para gestantes

Dicas para manter a saúde bucal durante a gestação
Os cuidados são os mesmos de uma mulher que não está grávida. Limpeza diária dos dentes e língua com uso adequado da escova e do fio dental.

Lembre-se: a qualidade dessa limpeza é muito importante.

• Escovar os dentes com mais frequencia já que o número de alimentos
estará mais elevado.
• Colocar pouco creme dental durante a escovação e não molhar demasiadamente a escova. Assim não formará muita espuma e causando menos enjoos. Caso não esteja tolerando, usar a escova sem creme dental.
• Fazer a higiene bucal após os episódios de vômito, que aumentam a acidez na boca, podendo levar a descalcificação dentária.
• Consumir moderadamente alimentos açucarados, preferencialmente após as refeições. Assim, você controlará melhor o seu peso e evitará cáries.
• Consultar um dentista em caso de sangramento gengival persistente por mais de 15 dias.
• Programar sua consulta para revisão odontológica assim que souber que está grávida.

IMPORTANTE
Pesquisas recentes têm evidenciado que a doença gengival é um dos fatores de risco para o nascimento de bebês prematuros e com baixo peso corporal.

Qual a relação entre gravidez e doença cárie?

A gravidez não é responsável pelo aparecimento de cáries e nem pela perda de minerais dos dentes da mãe. O aumento da atividade de cárie está relacionado com a alteração da dieta e com a presença da placa bacteriana, pela limpeza inadequada dos dentes.

As gengivas inflamam mais durante a gravidez?

A gravidez não causa inflamação e/ou sangramento na gengiva. Na grávida, a gengiva torna-se mais elástica, o que favorece para que a gestante tenha gengivite. Entretanto, a presença da placa bacteriana e a deficiência de escovação é que provocam o sangramento da gengiva.

Que alterações podem trazer problemas bucais?

Algumas alterações no organismo da mulher associados à mudança de hábitos de vida podem levar ao aparecimento ou agravamento de problemas bucais, tais como as doenças de cárie e gengival, se não acompanhados da devida higienização diários.
São elas:

• Aumento da acidez na boca devido aos vômitos.
• Aumento do número de refeições/lanches diários.
• Aumento ocasional do consumo de doces e outros alimentos açucarados.
• Diminuição dos cuidados com higiene bucal, principalmente antes e depois do parto, quando a atenção está voltada para os preparativos e para a saúde do bebê.
• Maior sonolência da gestante, que dorme mais tempo, sendo um período crítico, devido à diminuição da saliva e dos movimentos musculares (língua e bochecha) durante o sono.

O bebê tira cálcio dos dentes da mãe durante a gravidez?

Se a dieta da mãe tem cálcio suficiente, não há problema. Se houver falta de cálcio, o bebê retirará o cálcio dos ossos da mãe, e não dos dentes.

Quais problemas, sofridos pela mãe, que podem afetar os dentes do bebê?

Os dentes decíduos, “dentes de leite”, começam a se formar a partir da 6ª semana e os dentes permanentes a partir do 5º mês de vida intrauterina. Dessa forma, condições desfavoráveis durante a gravidez (uso de medicamentos, infecções, carências nutricionais, ingestão elevada de cafeína, febre de origem virótica persistente, dentre outros) podem trazer problemas nos dentes em fase de formação, tais como manchas e alterações na forma.

O ato de fumar e ingerir bebidas alcoólicas pode prejudicar o bebê?

O fumo passivo, afeta o desenvolvimento dos dentes permanentes. O bebê pode nascer com baixo peso, menor tamanho e com maior chance de apresentar defeitos congênitos e infecções respiratórias. O risco da síndrome de morte súbita aumenta de acordo com o número de cigarros fumados durante a gravidez. A inteligência da criança pode ser comprometida.

Para assegurar uma boa dentição do bebê, as futuras mamães devem evitar o consumo excessivo de alimentos açucarados a partir do 4º mês de gestação, pois é quando se inicia a formação do paladar do bebê.

Pré-natal Odontológico

O acompanhamento odontológico durante a gravidez é muito importante, pois diminui os riscos da gestante e do feto. A futura mamãe precisa conhecer as causas e condições em que as doenças orais se desenvolvem e, se necessário, modificar a composição de bactérias de sua saliva para diminuir o risco de contaminar a criança. Pensando no bem-estar da gestante e do bebê, organizamos um conjunto de informações que são importantes para garantir o sorriso com a saúde, de toda a família

Prevenindo as doenças gengivais

O que é gengivite?

Gengivite é o primeiro estágio de inflamação das gengivas e é causada pelo acumulo de placa bacteriana. Nesse estágio as gengivas ficam avermelhadas, inchadas e sensíveis (com sangramento fácil). Não há mobilidade dental, e o osso e as fibras de suporte estão ainda sem danos.

Gengivite reversível

É tratada por uma boa higiene bucal e tratamento profissional. Os principais sintomas são:

• Presença de tártaro nos dentes
• Inchaço na gengiva
• Coloração avermelhada
• Sangra ao escovar
• Não apresenta dor na maioria das vezes
• Mau hálito

Quando a gengivite pode agravar?

Depois que as bactérias penetram entre os dentes e a gengiva, espaços profundos podem se formar bolsas inflamatórias. A placa bacteriana aprofunda-se e endurece ainda mais formando mais tártaro. Juntos, a placa e o tártaro deslocam as gengivas, deixando-as cada vez mais inflamadas e retraídas. O dente pode ficar abalado e, a longo prazo, pode ocorrer a periodontite e a consequente perda do dente.

Periodontite

A periodontite, estágio posterior à gengivite, é provocada por má higiene bucal, que permite o aumento na formação de placa e tártaro subgengival.

Características:
• Gengiva descolada e dentes com grande presença de tártaro
• Presença de bolsa gengival inflamatória
• Mudança na posição dos dentes (perda óssea)
• Mau hálito

COMO PREVENIR A GENGIVITE E SEUS ESTÁGIOS AVANÇADOS?

Escovação

Use sempre uma escova macia posicionando-a em um ângulo que permita atuar levemente na junção dos dentes e gengivas, removendo
a placa bacteriana.

Use fio dental regularmente

Ele remove a placa bacteriana das superfícies laterais dos dentes e
abaixo da linha da gengiva, onde as cerdas das escovas não alcançam.

Problemas gengivais são mais comuns em adultos

Nos adultos os problemas com cáries diminuem consideravelmente, porém aumenta a incidência de doenças gengivais, causa mais comum de perda de dentes posteriores.

Uma boca bem limpa espalha saúde pelos órgãos

• Estudos mostram que a escovação em dia, aliada ao uso disciplinado de fio dental, pode evitar osteoporose, infecções respiratórias, problemas do coração e até parto prematuro.

• Ficou provada a relação entre uma limpeza mal feita das gengivas e a doença pulmonar obstrutiva crônica, que causa morte de dois milhões de indivíduos por ano ao redor do planeta.

A gengivite é o alarme de perigos maiores

• Uma vez na circulação sanguínea, as bactérias que vivem no sorriso mal conservado, disparam reações químicas que podem apressar o parto.
• Os micróbios que causam gengivite podem ser os vilões da inflamação do endocárdio (membrana que forra o coração), e elevam as chances de infarto.
• Moléstias bucais são responsáveis por 40% das endocardites.

Programa Odontológico Materno Infantil

O bebê nasceu…

O acompanhamento do desenvolvimento da dentição do bebê, desde os primeiros meses de vida, é muito importante para a garantia de sua saúde bucal. Lembre-se que a criança aprende o que vê e tende a repetir o que os pais fazem. Portanto, pratique regularmente a sua higienização bucal, preferencialmente, junto com a criança. Avalie sempre a boquinha do bebê e, se necessário, procure orientação odontológica.

Como posso evitar contaminar o meu bebê?

As mães são as principais transmissoras de bactérias que causam cárie para os bebês. Daí a importância da realização dos tratamentos odontológicos antes ou durante o pré-natal. Assim, receberão o bebê com seus dentes e gengivas saudáveis. Evite beijar a boca do bebê, soprar e/ou provar papinhas utilizando o mesmo talher. Se a criança for contaminada precocemente, as chances de desenvolver doenças bucais severas na vida adulta serão muito maiores.

O uso da chupeta prejudica a saúde?

A chupeta complementa a satisfação psicoemocional do bebê e pode ser usada, porém, de forma consciente. Deve ser ortodôntica, de bico curvo ou reto e de tamanho compatível com a boca do bebê.

Cuidados:

• Utilize-a de modo racional, exclusivamente para completar a necessidade de sucção e como estímulo ao desenvolvimento das arcadas dentárias.

• O uso prolongado poderá causar mau posicionamento dos dentes, desvio do crescimento das arcadas dentárias, além de alterações na forma de engolir e falar.

• A chupeta nunca deve ficar presa à roupa, pois favorecerá o hábito do uso constante.

• A criança não deve conversar com a chupeta na boca.

• O bebê não pode dormir o tempo todo com a chupeta, pois ficará com a boca aberta e não irá respirar corretamente pelo nariz.

• A chupeta não deve mais fazer parte da vida da criança quando ela completar três anos.

Como eliminar o hábito da chupeta?

Além de não deixá-la disponível durante o dia e do tradicional uso de chás amargos para banhá-la, pode-se utilizar a técnica da sugestão noturna, que consiste em conversar próximo ao ouvido da criança durante os primeiros 10 minutos de sono. Evite falar a palavra “não” e escolha a orientação que desejar passar.

Qual o benefício do aleitamento materno para a saúde bucal?

• Contribui para o desenvolvimento correto das arcadas dentárias e para o crescimento harmônico da face.
• Favorece as funções de mastigação, fonação e deglutição.
• Desenvolve a respiração pelo nariz, contribuindo na prevenção de amigdalites, pneumonias, rinites e sinusites etc.
• Proporciona tonicidade à musculatura da face e da língua.

Até onde o bebê deve mamar durante a noite?

O bebê deve mamar de madrugada só até completar três meses. A mãe vai acertando a frequência das mamadas e montando esquema de hábitos. Deve-se ensinar que a espera ou adiamento de uma necessidade dentro de alguns critérios não prejudica ninguém. Isso é uma forma de amor. O pai ou outra pessoa deve atender a criança quando ela chora de madrugada. O cheiro da mãe, “cheiro de leite”, desperta no bebê o desejo de mamar.

O que é cárie de mamadeira e quais são as suas causas?

É um tipo de cárie precoce, também conhecida como “Cárie Rampante” ou “Cárie de Peito”. Ocorre na primeira dentição da criança, principalmente, nos dentes que ficam na parte de trás da boca. Localiza-se próximo à gengiva, destruindo rapidamente a coroa do dente. É extremamente dolorida, impedindo, muitas vezes, que a criança se alimente adequadamente. Causas:

• Uso de substâncias adocicadas na chupeta.
• Hábito de alimentação noturna.
• Uso de medicamentos por tempo prolongado, principalmente durante o sono, sem que haja limpeza logo após.
• Consumo excessivo de alimentos açucarados.

Quais crianças são consideradas propensas alto risco de cárie?

• Filhos de pais com desenvolvimento acentuado de doenças orais.
• Crianças que mamam de madrugada após o nascimento dos dentes.
• Crianças que não têm apoio dos pais para higienização da boca.
• Crianças que frequentemente dormem sem fazer limpeza bucal noturna.
• Crianças que consomem alimentação açucarada com grande frequencia.

Benefícios da higiene bucal do bebê

• Prevenção das doenças bucais
• Incorporação de hábitos saudáveis