09/11/2018

FSFX recebe visita dos palhaços profissionais do Instituto HAHAHA

Você já ouviu falar em palhaços profissionais? São atores que se transformam em palhaços e levam a alegria por onde passam. Assim são os palhaços que fazem parte do Instituto HAHAHA, uma Organização Não Governamental (ONG) sem fins lucrativos, formada por artistas, gestores culturais e profissionais da saúde. Durante dois meses os profissionais fizeram oito visitas às alas pediátricas do Hospital Márcio Cunha (HMC), mantido pela Fundação São Francisco Xavier (FSFX).

O público total que foi impactado com o trabalho do Instituto HAHAHA na FSFX foi de 5.869 pessoas. Desse montante, foram realizados 658 atendimentos a crianças e adolescentes nas alas pediátricas do HMC, 5.068 pessoas da comunidade hospitalar teve contato direito com o trabalho do Instituto e 43 pessoas da comunidade externa.

As atividades fazem parte do Expresso HAHAHA que realiza ações no interior do Estado. O projeto contou com patrocínio da Usiminas e Drogaria Araújo por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, além do apoio do Instituto Cultural Usiminas. O principal objetivo com as visitas dos palhaços do Instituto HAHAHA as crianças no HMC foi levar saúde aos pequenos por meio do riso, provocar reflexões e humanizar ainda mais as relações e o olhar mais amplo no ambiente hospitalar, além de unir cultura e saúde.

As visitas besteirológicas aconteceram duas vezes por semana em datas alternadas e por dia contemplaram 75 crianças nas alas pediátricas do Hospital Márcio Cunha, como Pronto Socorro Infantil, UTI Neonatal e Pediátrica, Internação e Oncologia Pediátrica. Para o superintendente do Hospital Márcio Cunha, Mauro Oscar de Souza Lima, ações como essa são importantes para alegrar as crianças. “As pessoas procurar o hospital quando estão passando por algum problema. Então muitas vezes já chegam a unidade fragilizadas, então as visitas fazem diferença para essas crianças. O nosso atendimento é humanizado e cada vez mais queremos investir nessa prática para que os nossos pacientes se sintam bem”, declara Mauro Oscar.

A diretora do Instituto Cultural Usiminas, Penélope Portugal, afirma que a parceria com o HAHAHA e FSFX tem o objetivo de levar arte e alegria ao ambiente hospitalar. “É uma alegria pode viabilizar essas ações. Esperamos que nesses dois meses, a presença do HAHAHA possa contribuir positivamente para pacientes e equipe das unidades atendidas”, afirma.

Os colaboradores da FSFX também não ficaram de fora, eles participaram de duas palestras com os criadores do Instituto HAHAHA. “Sempre quando chegamos a um novo hospital ficamos ansiosos para saber como será a reação de todos, tanto dos pacientes quanto dos funcionários. E além do trabalho com as crianças, promovemos também uma ação com os trabalhadores que chamamos de palhestra que é um momento de explicarmos como é o funcionamento do nosso trabalho para que quando formos vistos nos corredores do hospital, todos entendam o que está acontecendo”, explicou Gyuliana Duarte, coordenadora artística do Instituto HAHAHA.

A comunidade do Vale do Aço também pôde conferir de perto o trabalho do Instituto. Para apresentar os resultados do trabalho que foi feito na Fundação São Francisco Xavier e contar as histórias vivenciadas na instituição foi apresentado o espetáculo Zona de Risco onde o público teve a oportunidade de participar e de conhecer um pouco do que foi realizado ao longo das visitas realizadas na FSFX.

 

SOBRE O INSTITUTO

O Instituto HAHAHA atua principalmente em intervenções artísticas em hospitais de Belo Horizonte. Durante todo o ano, as unidades que mantem vínculo com o projeto recebem semanalmente duas visitas de uma dupla de palhaços. Atualmente a instituição atende cinco hospitais da capital e desde a sua fundação em 2012, mais de 443.523 mil pessoas tiveram a experiência da alegria com os palhaços profissionais.

O trabalho que é focado na criança e no adolescente, atinge enfermeiras, médicos, administração, pais, visitantes e toda a comunidade hospitalar. Em 2018, até o final do ano estão previstos​ 37.400 atendimentos às crianças e adolescentes hospitalizados e 74.800 pais, acompanhantes e equipes de saúde que atuam nos hospitais.

seta voltar PRÓXIMA NOTÍCIA seta