Dicas de saúde

Cuidar da saúde é essencial. Pensando nisso, o Hospital Márcio Cunha abre um espaço para prevenção da sua saúde, através de dicas sobre a importância da atividade física e alimentação saudável para se evitar doenças como hipertensão, obesidade, alcoolismo, tabagismo, diabetes e as doenças sexualmente transmissíveis.

Procure se alimentar bem

  • Realize de 5 a 6 refeições ao longo do dia. Inclua lanches leves nos intervalos entre o café da manhã e o almoço (frutas, barrinhas de cereais light, iogurtes desnatados, etc.). Tente não fazer refeições muito volumosas, principalmente no almoço e no jantar.
  • Evite, ao máximo, o consumo de gorduras saturadas e colesterol (gorduras de origem animal, como carnes gordurosas, queijos amarelos, frituras, leite integral, creme de leite integral, bacon, etc.), além de açúcares e sal.
  • Evite o fumo e o consumo de bebidas alcoólicas.
  • Mastigue lentamente os alimentos e procure fazer as refeições em um ambiente tranquilo. Evite realizar outra atividade durante as refeições, com ver televisão, ler, etc.
  • Beba pelo menos 2 litros de água durante o dia.
  • Pratique alguma atividade física regularmente.
  • Dê preferência a alimentos integrais sempre que possível (pães, biscoitos, arroz, macarrão, etc.).
  • Confira o rótulo dos alimentos. Observe se contêm açúcar, gorduras trans, gordura saturada, etc. Dê preferência aos alimentos que contenham fibras.
  • Evite pular as refeições e passar longos períodos sem se alimentar.
  • Atenção aos temperos que contêm muita quantidade de calorias, principalmente gorduras, como maionese, manteiga, creme de leite e outros. Prefira ingerir molhos caseiros ou com pouca gordura. Atenção também aos temperos que contêm grandes quantidades de sal, como shoyo, molho inglês, caldos de carne, etc.

Por que praticar exercícios?

Não é segredo para ninguém nos dias de hoje: praticar exercícios gera bem-estar, pois melhora a disposição no dia a dia, a autoestima, a interação social e também a condição geral de quem pratica. Isso ajuda na redução dos riscos de aparecimento de algumas doenças, como morte prematura, resistência à insulina, dislipidemia, diabetes, alguns tipos de câncer, osteoporose, incidência de doenças cardiovasculares, cerebrovascular, lesões e ataques cardíacos e a prevalência de depressão. Realizar atividade física regularmente durante meses e anos produz, a longo prazo, benefícios para a saúde que devem ser conquistados diariamente.

Mas, afinal, você sabe o que significa “praticar exercícios”? Toda atividade física planejada, estruturada e repetitiva, com o objetivo de melhorar e manter um ou mais componentes da aptidão física, pode ser definida de tal modo. Por exemplo, a caminhada em ritmo constante, sendo realizada de forma estruturada, planejada, repetitiva, com duração, intensidade e ritmo predefinidos e com objetivos preestabelecidos, como melhorar a capacidade cardiorrespiratória, torna-se um exercício físico.

Por isso, se você está sedentário, movimente-se. Além das atividades básicas do dia a dia, como andar, tomar banho, ir para o trabalho, trabalhar, cuidar da casa e dos filhos, entre outras, procure incorporar em sua agenda exercícios aeróbicos e de flexibilidade de três a cinco dias por semana. Pode ser caminhada, corrida leve, andar de bicicleta, ginástica, não importa. O importante é manter a duração entre 20 e 60 minutos, com uma frequência cardíaca de 60 a 80% da máxima estimada para a idade, e alongar-se sempre antes e depois da atividade.

Caso queria intensificar um pouco mais, procure atividades recreativas, como futebol, corrida e natação, ou treinamento de força, como a musculação nas academias, além da ajuda de um profissional. Lembre-se: fazer pouca atividade física é sempre melhor do que não fazer.


Os perigos da hipertensão

A hipertensão, ou pressão alta, é diagnosticada quando a pressão arterial, após ser medida por diversas vezes, é igual ou superior a 140 x 90 mmHg.  Esse diagnóstico pode ser feito somente por um médico. Isso acontece porque os vasos por onde o sangue circula se contraem ou estão obstruídos e fazem com que a pressão do sangue se eleve.

Os sintomas da hipertensão costumam aparecer somente quando a pressão sobe muito, como:

  • dores no peito;
  • dor de cabeça;
  • tonturas;
  • zumbido no ouvido;
  • fraqueza;
  • visão embaçada;
  • sangramento nasal.

A hipertensão, na maioria das vezes, é uma herança genética. Entretanto, pode ser desencadeada por hábitos de vida como:

  • obesidade;
  • ingestão excessiva de sal;
  • ingestão excessiva de bebida alcoólica;
  • sedentarismo.

Em todos os casos, os cuidados com a saúde devem ser diários. A hipertensão não tem cura, mas pode e deve ser controlada. O tratamento contínuo pode evitar futuros infartos do coração, AVC (derrame cerebral) e Insuficiência renal (paralisação dos rins). Ele deve ser feito através de remédios controladores da pressão e hábitos saudáveis.

Quem tem pressão alta deve ficar atento a alimentos ricos em sódio, como os refrigerantes “zero açúcar”, além de conservas (picles, azeitona, maionese e ervilha), alimentos embutidos (salsicha, mortadela, linguiça, presunto, salame e paio), carnes salgadas (bacalhau, charque, carne-seca e defumados), queijos em geral, dando preferência a queijo branco ou ricota sem sal.

A prática de exercícios físicos ajuda a baixar a pressão. O exercício físico adequado não apresenta efeitos colaterais e traz vários benefícios para a saúde, tais como:

  • ajuda a controlar o peso e a pressão arterial;
  • diminui as taxas de gordura e açúcar no sangue;
  • eleva o “bom colesterol”;
  • diminui a tensão emocional;
  • aumenta a autoestima.

Em relação à prevenção e ao controle, só o médico pode determinar o melhor método para cada paciente. Mas, além dos medicamentos disponíveis atualmente, é imprescindível adotar um estilo de vida saudável.

  • Mantenha o peso adequado, se necessário, mudando hábitos alimentares.
  • Não abuse do sal; utilize outros temperos que ressaltam o sabor dos alimentos, evitando temperos industrializados.
  • Pratique atividade física regular.
  • Aproveite momentos de lazer.
  • Abandone o fumo.
  • Modere o consumo de álcool.
  • Evite alimentos gordurosos.
  • Controle o diabetes quando presente.

Veja mais dicas de saúde e práticas saudáveis no portal do Programa Atitude rima com Saúde: www.atituderimacomsaude.com.br


Diabetes: cuidado permanente

Alimentação inadequada e vida sedentária podem trazer problemas que vão além dos quilinhos a mais; podem contribuir com um dos principais fatores de risco para doenças do sistema circulatório: o diabetes mellitus. O diabetes mellitus é uma alteração no metabolismo da glicose, causada pela deficiência na produção ou ação da insulina – hormônio produzido pelo pâncreas e responsável por transformar as moléculas de glicose em energia. Quando o corpo não consegue administrar a glicose de forma adequada, seus níveis no sangue são aumentados e aí começam os problemas de saúde.

O diabetes apresenta-se de três maneiras:

  • Tipo I: ocorre em pessoas com deficiência quase absoluta de insulina e que precisarão usá-la para o resto da vida.
  • Tipo II: ocorre em indivíduos que, geralmente, possuem mais de 40 anos e outros fatores relacionados à doença, como obesidade, sedentarismo e histórico do problema na família. Esse tipo pode ser tratado com medicação, dieta alimentar, atividade física e, em alguns casos, insulina.
  • Gestacional: desenvolvida durante a gravidez, pode desaparecer depois do nascimento do bebê. Há dois fatores de risco importantes nesse caso: o aumento descontrolado de peso durante a gravidez e quando a futura mamãe tem mais de 35 anos.

Um dos perigos do diabetes é que ele pode se desenvolver de forma assintomática. Muitas vezes, quando os primeiros sinais aparecem – como muita sede, muita fome e aumento do volume urinário –, o quadro já está estabelecido. Por isso, não espere os sintomas surgirem para procurar um médico. O Hospital Márcio Cunha conta com exames que podem diagnosticar o aumento da glicose, para que o tratamento seja iniciado o mais rápido possível.

Por isso, visite um médico regularmente; tenha uma dieta balanceada, com refeições regulares para controlar a taxa de açúcar no sangue; mantenha hábitos de higiene, prevenindo infecções, e pratique atividades físicas pelo menos três vezes por semana. Sua saúde agradece.


Não abuse do álcool

O alcoolismo compromete a saúde física e mental, causando graves consequências na vida social, familiar e profissional. A dependência do álcool se desenvolve num período de 5 a 25 anos e vai progredindo com o tempo.

O alcoolismo causa:

  • Tremedeira
  • Problemas cardíacos
  • Falta de coordenação motora
  • Impotência sexual
  • Cirrose Hepática
  • Dores musculares
  • Alterações cerebrais e neurológicas
  • Irritação e agressividade
  • Diarreia
  • Gastrite

O que fazer:

  • Procure ajuda médica e psicológica
  • Tenha uma alimentação balanceada
  • Pratique esportes
  • Não misture diferentes tipos de bebidas alcoólicas
  • Jamais dirija após beber

Procure grupos de autoajuda, como o AA (Alcoólicos Anônimos).


Fique longe do cigarro

A nicotina é considerada uma droga que causa dependência psíquica e física. Ela altera o metabolismo natural do organismo, aumentando a pressão sanguínea, diminuindo o paladar e olfato e dificultando a respiração.

Fumar causa:

  • Bronquite crônica e enfisema pulmonar
  • Infarto
  • Câncer de pulmão
  • Câncer de laringe, boca e esôfago
  • Infecções respiratórias
  • Envelhecimento precoce
  • Impotência sexual

O que fazer:

  • Assuma sua dependência
  • Marque uma data para parar de fumar – a decisão é sua
  • Peça apoio aos amigos
  • Beba bastante líquido
  • Pratique esportes
  • Evite contato com fumantes, locais e hábitos que lembrem o cigarro
  • Se sentir a necessidade de colocar algo na boca, prefira alimentos que não engordam (balas diet, frutas secas, genbibre)

Veja mais dicas de saúde e práticas saudáveis no portal do Programa Atitude rima com Saúde: www.atituderimacomsaude.com.br


Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST)

As Doenças Sexualmente Transmissíveis são as infecções transmitidas durante a relação sexual, seja ela vaginal, oral ou anal, quando não se usa preservativo. Daí a importância de se usar preservativos nas relações sociais e não compartilhar agulhas e seringas.

As DSTs mais comuns são:

Aids

Causada pelo vírus HIV, provoca queda nas defesas do organismo. A única forma de saber se uma pessoa é portadora do vírus é através do teste sanguíneo. A AIDS ainda não tem cura, mas o vírus pode ficar até 10 anos sem se manifestar no organismo.

Sífilis

Ferida indolor no pênis, na vulva, no ânus ou na boca, que aparece duas ou três semanas após o contato sexual com o parceiro contaminado. Os sintomas geralmente aparecem e somem, dando ao doente a falsa impressão de cura. Em estágio evoluído, a Sífilis pode ocasionar problemas nos ossos, na pele e no coração, levando até mesmo à morte. Se descoberta a tempo, é totalmente curável com antibióticos.

Clamídia

Infecção causada por bactéria, que se manifesta nos homens como corrimentos espessos, com dor leve ao urinar. As mulheres, mesmo contaminadas, não apresentam sintomas.

Herpes Genital

Provocada pelo herpes vírus, não tem tratamento definitivo, mas pode ser controlada por medicamentos. Os sintomas são pequenas bolhas nos órgãos genitais que, quando rompidas, deixam uma ferida rasa, podendo provocar dores.

Gonorréia

Os sintomas costumam aparecer entre 2 e 10 dias após a relação sexual. Ocorre corrimento e dor ao urinar, tanto nos homens quanto nas mulheres. Quando não tratada com antibióticos, pode levar à esterilidade.

HPV

Infecção facilmente tratada em sua forma inicial, contraída por contato sexual e através da pele de portadores de verrugas causada pelo HPV. Homens, mulheres e crianças podem contrair a doença. Os sintomas são manchas esbranquiçadas e/ou verrugas nos órgãos genitais.