Combata o câncer com a Fundação

No Dia Mundial do Combate ao Câncer, 8 de abril, a Fundação São Francisco Xavier chama atenção para essa doença, que atualmente, mata 8,2 milhões de pessoas por ano no mundo. O câncer é um conjunto de doenças em que a base principal é o descontrole do crescimento da célula. Esse desequilíbrio faz com que ela passe a se multiplicar independente da necessidade do organismo.
Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Brasil, foram registradas 189.454 mortes por câncer em 2013, já em 2016, estima-se a ocorrência de mais de 596 mil casos da doença no país. Entre os homens, são esperados 295.200 novos casos, e entre as mulheres, 300.870.
As causas de câncer são variadas, podendo ser externas, que referem ao meio ambiente e aos hábitos ou costumes próprios de uma sociedade. As causas internas são, na maioria das vezes, geneticamente pré-determinadas, e estão ligadas à capacidade do organismo de se defender das agressões externas.
Confira alguns fatores que contribuem com a incidência da doença:
Tabagismo: pessoas que fumam têm uma chance 10 vezes maior de desenvolver câncer, quando comparadas com as não-fumantes. O risco de câncer do pulmão, por exemplo, aumenta em função do número de cigarros tragados, tempo de vício e profundidade da tragada. O fumo pode ainda ser associado ao câncer de laringe, pâncreas, bexiga, rins e boca.
Hábitos alimentares: a alimentação e a nutrição inadequadas são classificadas como a segunda causa de câncer que poderia ser prevenida, atrás apenas do tabagismo. Muitos componentes da alimentação têm sido associados com o processo de desenvolvimento do câncer, principalmente os de mama, cólon e reto, próstata, esôfago e estômago.
Alcoolismo: o uso de bebidas alcoólicas pode aumentar o risco de câncer de cavidade oral, laringe, faringe, esôfago, fígado, mama, colorretal em homens. Além disso, pessoas que consomem diariamente mais de seis doses de bebida com elevado teor de álcool apresentam probabilidade dez vezes maior de desenvolver o câncer bucal, quando comparados com os que não bebem. Alcoólicos fumantes têm 100 vezes mais probabilidade de desenvolver a doença.
Hábitos sexuais: certas características de comportamento sexual aumentam a chance de exposição a vírus carcinogênicos sexualmente transmissíveis. A precocidade do início da vida sexual e a variedade de parceiros estão relacionadas ao maior risco de câncer do colo do útero em mulheres, por exemplo, o que mostra o quanto hábitos sexuais contribuem para a propagação de agentes sexualmente transmissíveis.
Como prevenir o câncer?
Realizar exames preventivos e rotineiramente, parar de fumar e de poluir o ambiente e ter uma alimentação que deve ser variada, equilibrada, saborosa para proporcionar prazer e saúde. Além disso, praticar regularmente atividades físicas, controlar o peso corporal e a exposição ao sol entre 10h e 16h com o uso de proteção adequada, como chapéu e protetor solar, ajudam a evitar o câncer.

Postagens Relacionadas

Rolar para cima
Pular para o conteúdo