Fundação São Francisco Xavier realiza encontro com candidatos a prefeito de Ipatinga

A Fundação São Francisco Xavier reuniu colaboradores convidados de suas diversas unidades de negócio – Hospital Márcio Cunha, Usisaúde, Centro de Odontologia Integrada, Colégio São Francisco Xavier e Serviço de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional FSFX – para dialogar com quem pretende administrar Ipatinga nos próximos quatro anos. O Encontro com os Candidatos a Prefeito, promovido pela Fundação ontem à noite, no Teatro Zélia Olguin, colocou eleitores frente aos candidatos Eduardo Figueiredo (PSB), Roberto Carlos (PT do B), Robinson Ayres (PSOL), Daniel Cristiano (PCB) e Cecília Ferramenta (PT), que tiveram a oportunidade de apresentar propostas e planos de governo, esclarecer dúvidas e responder a perguntas da plateia.
Db. Polt - Elvira N (19)O candidato Sebastião Quintão (PMDB), por já ter outro compromisso agendado, segundo informação da sua assessoria, não compareceu ao evento. “Pelo papel social que ocupa hoje, a Fundação São Francisco Xavier busca trazer, cada vez mais, informação para os seus quase 4.500 colaboradores. Temos que contribuir com a formação da consciência política e social. Isso fortalece o exercício da cidadania. O encontro contribuiu para que os candidatos se apresentassem e levassem ao conhecimento dos nossos colaboradores, em igualdade de condições, seus planos de governo de forma transparente e direta”, comentou Luís Márcio Araújo Ramos, diretor executivo da Fundação São Francisco Xavier.
O encontro da Fundação com os candidatos a prefeito não teve como objetivo promover o debate entre eles, mas, sim, abrir espaço igual e democrático a todos para se apresentarem e exporem suas principais propostas para a cidade. Para isso, foi dividido em quatro blocos, com a ordem de fala dos candidatos definida em sorteio e os tempos cronometrados. A segunda e terceira partes, os candidatos responderam ainda a perguntas da organização do evento e dos convidados, de temas como saúde, educação, transporte, combate à corrupção, o momento atual da siderurgia e da Usiminas e a geração de mais emprego e renda para cidade.
Encontro agradou os candidatos
Db. Polt - Elvira N (10)Para Eduardo Figueiredo, a noite foi propícia para fortalecer a participação e a consciência política dos eleitores presentes. “Os municípios hoje não têm condições de gerir todos os projetos. E um dos problemas do município hoje é gestão. Tem que ser eficiente, com equipes preparadas. A política tradicional não tem mais sustentação hoje”, expôs.
O momento atual da cidade, na visão de Roberto Carlos, não é de reinventá-la, mas de planejá-la fiscal, orçamentária e economicamente. “O principal problema de Ipatinga chama-se saúde pública. É preciso reestruturar o programa Saúde da Família e entender quais os problemas nas comunidades. E, ainda, seguir os exemplos de municípios brasileiros para que a geração de emprego e renda não seja um gargalo”. Robinson Ayres defendeu suas seis propostas principais de plano de governo. Entre elas, o transporte com tarifa zero e a diversificação da economia para diminuir a dependência da siderurgia. “Precisamos que a população de Ipatinga se conscientize que a melhora da cidade não cabe a nenhum salvador da pátria, mas de uma construção e participação coletiva.”
Daniel Cristiano destacou a necessidade de se começar um novo ciclo na política. “Eu quero ser prefeito porque eu conheci várias Ipatingas que eu não conhecia neste município, com as vulnerabilidades sociais que ela tem. Nesse sentido a saúde terá prioridade e todo o meu esforço.” Cecília Ferramenta, que tenta a reeleição, fez um balanço do seu mandato desde 2012, quando, segundo ela, assumiu a Prefeitura com uma dívida de R$ 300 milhões. “Estamos enfrentando todas as dificuldades de cabeça erguida. Realizamos e estamos realizando reformas nos postos de saúde e policlínicas, construindo mais sete blocos no hospital municipal, com 60 leitos de enfermaria, e criando mais equipes do Programa Saúde da Família”.
Palavra dos colaboradores
De forma geral, a avaliação dos participantes ao final do encontro também foi positiva. “A iniciativa da Fundação foi extremamente válida. Eu fiquei muito feliz porque nunca tinha participado de um debate político. E acho que isso é uma obrigação nossa como cidadãos, procurar se informar das propostas de governo dos candidatos e não ficar na mesmice, para fazer a melhor escolha possível. Até porque, é o nosso futuro e o futuro dos nossos filhos”, avaliou Michelly Soares Salgado, enfermeira supervisora da UTI do Hospital Márcio Cunha.
Para José Márcio Araújo, analista financeiro de planejamento e controle da FSFX, a experiência valeu a pena. “Não sou natural de Ipatinga, mas moro e voto aqui há 16 anos. Ter a oportunidade para conhecer quem são os candidatos e suas ideias foi importante. Não que eu tenha saído dali com meu voto decidido, mas começo a ter um norte para traçar minha escolha. É a partir da nossa cidade que devemos nos empenhar para a construção de um Brasil melhor. Precisamos de um prefeito que solucione as necessidades do povo. Na hora de votar, é preciso ter a consciência de escolher um candidato que tenha realmente capacidade de cumprir aquilo que prometeu.”
 

Postagens Relacionadas

Rolar para cima
Pular para o conteúdo