HMC convoca doadores de sangue para reforçar estoques

O sucesso do tratamento dos casos de pacientes internados com Febre Amarela no Hospital Márcio Cunha está relacionado, entre outros fatores, à solidariedade. Para o paciente no estágio mais grave da doença, a necessidade de transfusões de sangue e hemocomponentes doados por doadores voluntários no setor de Hemoterapia é fundamental na luta contra a doença. O problema é que, quando o número de doadores de sangue cai, a esperança de recuperação dessas pessoas também acaba diminuindo.
“Além do grande consumo desses materiais nos últimos dias, devido ao aumento de casos de pacientes graves internados, outro fator que tem impactado é a grande imunização da população de uma só vez, com a vacina contra Febre Amarela. Afinal, quem toma a vacina deve esperar por 28 dias antes de voltar a doar sangue. Uma segurança importante e necessária, pois a vacinação com o vírus atenuado causa uma viremia no sangue do doador, impedindo que ele seja usado para fins transfusionais”, explica o médico hematologista e responsável técnico Marcos Aurélio Mergh Murer.
Para melhor compreender a gravidade desse cenário, o recomendável para o setor de Hemoterapia do Hospital Márcio Cunha é que se tenha, no mínimo, 130 bolsas de sangue como estoque de segurança. Contudo, hoje, esse número é de apenas 30 bolsas. “Com o estoque do hospital vulnerável, há o risco de desabastecimento, principalmente de plasma fresco congelado e crioprecipitado, componentes do sangue essenciais para pacientes que possuem alguma doença que dificulta a coagulação, como os pacientes com Febre Amarela. Para se ter ideia, um único paciente grave com Febre Amarela pode exigir de 4 a 12 bolsas de plasma. Por isso precisamos muito da ajuda de doadores de todos os tipos sanguíneos, em especial os tipos A, B e AB”, completa Marcos Aurélio.
Vale lembrar que o material doado ajuda também a salvar a vida de pacientes internados com outras enfermidades, pacientes que necessitam de transfusões em cirurgias, pacientes oncológicos ou até mesmo, àqueles que são acolhidos em uma emergência ao chegarem ao Pronto-Socorro do Hospital Márcio Cunha todos os dias.
Se você já é um doador ou deseja tornar-se um, independente do seu tipo sanguíneo, ajude a quem precisa. Basta comparecer ao setor de Hemoterapia da Unidade I do Hospital Márcio Cunha (no bairro das Águas), para fazer a sua doação, que é rápida e segura. O setor funciona de segunda à sexta-feira, das 7h às 11h e das 15h às 18h. O agendamento poderá ser realizado pessoalmente ou pelo telefone 3829-9600 e no momento da doação será necessário levar um documento oficial com foto e assinatura.
Para doar sangue
Ao entrar na Recepção Principal da Unidade I do HMC, o doador pode se dirigir ao atendimento no guichê 16 – Doação de Sangue, localizado à esquerda de quem entra. Feito o cadastro, o doador recebe uma etiqueta de identificação e se dirige ao serviço de Hemoterapia (acesso pela recepção de visitas aos apartamentos).
Segundo as recomendações do Ministério da Saúde e da Anvisa, são critérios para doação: estar em boas condições de saúde, ter entre 18 e 69 anos ou idade de 16 a 17 anos com o consentimento formal dos responsáveis legais, pesar mais de 52 kg e ter comportamento sexual seguro. Doar sangue é um gesto de solidariedade e ajuda a salvar vidas. Participe ou incentive um amigo a realizar esta prática.
 

Postagens Relacionadas

Rolar para cima
Pular para o conteúdo