Além do descanso: os benefícios do sono para a saúde física e mental

Médico do Hospital Márcio Cunha alerta sobre a privação do sono que pode levar a distúrbios como depressão, insônia e apneia.

O sono adequado desempenha um papel vital no funcionamento otimizado do organismo, sendo crucial para a manutenção da saúde física e mental. Segundo a literatura médica, o sono de qualidade é fundamental para o corpo recuperar as energias, para a regulação de hormônios, a consolidação de memórias e ainda desempenha um papel importante na regulação do apetite e metabolismo, contribuindo para a manutenção de um peso saudável e a prevenção da obesidade. Apesar de todos os benefícios, mais da metade dos brasileiros, 65% da população, não desfrutam de um boa noite de descanso. É o que aponta o estudo Epidemiologia do Sono, publicado na revista científica SiencDirect.

Para o médico clínico do Hospital Márcio Cunha, unidade administrada pela Fundação São Francisco Xavier, Neimar Rodrigues Costa, a privação do sono pode gerar uma variedade de efeitos negativos no corpo e na mente, podendo variar de leves a graves, dependendo da extensão da privação do sono. Os efeitos mais comuns são a fadiga diurna, irritabilidade, dificuldade na concentração e memória, déficit no desempenho físico. A privação crônica de sono também está associada a distúrbios de humor, como a depressão, que compromete a função cognitiva, afetando a concentração e o desempenho mental. Outro transtorno comum é a apneia obstrutiva, condição em que a respiração é interrompida repetidamente durante a noite, aumentando o risco de problemas cardiovasculares.

“A saúde mental é profundamente impactada por um boa noite de sono, envolvendo a regulação de neurotransmissores essenciais, como serotonina e dopamina. Quem se priva, compromete a produção adequada de células de defesa, anticorpos e outros componentes do sistema imunológico, enfraquecendo a capacidade do corpo de combater infecções”, alerta o médico.

Para a medicina, o sono é caracterizado por um estado fisiológico essencial para a saúde e bem-estar, definido por uma redução da atividade cerebral consciente e uma diminuição da resposta aos estímulos do ambiente. O estado de repouso é dividido em ciclos que consistem em estágios diferentes, sendo os principais o sono REM (Rapid Eye Movement) e o sono não REM. Durante o sono não REM, o corpo relaxa e se recupera, enquanto no sono REM ocorrem sonhos intensos e a atividade cerebral se assemelha ao estado de vigília. O ciclo completo é crucial para funções cognitivas, regulação emocional e manutenção da saúde física.

Benefícios

A relação entre sono e prática de atividade física também é benéfica para aqueles que usufruem de um sono restaurador. Dormir bem influencia a recuperação muscular e o desempenho durante o exercício. O sono profundo é essencial para a liberação de hormônios necessários à reparação e crescimento dos tecidos musculares, além de contribuir para a regulação do equilíbrio energético.

“O recomendável é que os adultos durmam em média 8 horas por dia, para ter um descanso considerável. O repouso repercute positivamente no desempenho diário de uma pessoa, podendo favorecer situações que exigem desde foco e concentração ou performance que requer esforço físico”, recomenda.

Para criar um ambiente propício ao sono saudável, Neimar orienta que é importante considerar fatores como, ambiente com baixa luminosidade, silêncio, temperatura adequada e conforto do colchão e travesseiros. É recomendável evitar o uso de dispositivos tecnológicos antes de dormir, buscar desenvolver uma rotina relaxante e limitar estímulos como o uso de cafeína e nicotina. Para o médico, incorporar essas características no período noturno proporcionará um sono restaurador, essencial para a saúde geral e o bem-estar.

Postagens Relacionadas

Segundo dados do Relatório Mundial sobre Visão da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 2,2 milhões de pessoas no mundo têm deficiência visual ou cegueira e,…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo