Dia da Enfermagem: A arte de cuidar

Emmanuel Gomes Correa, gerente corporativo de enfermagem da Fundação São Francisco Xavier

 

Dom e habilidade para cuidar e zelar pela saúde do paciente, são algumas das características dos profissionais de enfermagem. Some a isso, carinho, paciência, respeito, compaixão e grandes doses de humanidade. Considerados heróis anônimos, os enfermeiros e técnicos de enfermagem assumem importante papel na melhoria contínua do atendimento assistencial à saúde. É a equipe de enfermagem que interage com todas as áreas de suporte da instituição.

Neste 12 de maio, Dia Internacional da Enfermagem e do Enfermeiro, é importante a reflexão e a justa homenagem a esse profissional tão necessário para um mundo mais saudável e porque não mais humano. Parte fundamental da saúde do ser humano, a enfermagem é uma ciência e uma arte. Enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem são verdadeiros “anjos da guarda” do paciente.

A escolha da data remete ao aniversário da inglesa Florence Nithtingale, considerada fundadora da enfermagem moderna. Nightingale ganhou destaque ao servir como chefe e treinadora de enfermeiras durante a Guerra da Crimeia entre 1853 a 1856, atendendo soldados feridos. De volta ao seu país, desenvolveu grandes esforços para melhorar as condições de tratamentos médicos aos pobres e indigentes.

No Brasil também se comemora em 20 de maio, o Dia Nacional dos Técnicos e Auxiliares de Enfermagem, em memória de Ana Néri, pioneira da enfermagem no país. Nascida na Bahia em 1814, Neri foi uma das heroínas da guerra do Paraguai (1864 a 1870). A enfermeira utilizava os poucos recursos que tinha com sabedoria. Na época em que atuou na guerra, as condições sanitárias eram precárias e havia muitas doenças difíceis de controlar como cólera, febre tifoide, malária e varíola. Por isso, uma de suas maiores preocupações era a higiene para que essas doenças não se alastrassem ainda mais.

Na enfermagem moderna, a enfermagem foi dividida em subcategorias a depender do foco de atuação, já que a profissão realiza diversos procedimentos, dos mais básicos aos mais complexos. Boa parte destes profissionais atua em instituições de saúde: hospitais, clínicas e postos de saúde. No entanto, sua atuação não está restrita a estes lugares. Podemos encontrar profissionais trabalhando em empresas de diversos setores ou mesmo prestando atendimento em domicílio.

De acordo com dados do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), no Brasil existem mais de 2,7 milhões de profissionais que atuam na área da enfermagem, entre auxiliares, técnicos e enfermeiros, segundo levantamento de julho de 2022.

Florence e Néri ainda são lendas da enfermagem e da forma de atender aos pacientes como uma missão. As duas contribuíram para a melhoria e desenvolvimento da saúde hospitalar e também são lembradas por romperem preconceitos da época que ditavam que as mulheres deviam ser apenas donas de casa, se contentando com os afazeres do lar.

Mais do que cuidar de seus pacientes, Ana e Florence marcaram a história da enfermagem no Brasil e no mundo e são inspiração para a profissão. Assim como dizia a enfermeira inglesa: “a enfermagem é uma arte e para realizá-la como arte, requer uma devoção tão exclusiva, um preparo tão rigoroso, quanto a obra de qualquer pintor ou escultor”. A enfermagem sempre será a ciência e a arte de cuidar de seres humanos com carinho, atenção e humanidade.

Postagens Relacionadas

No Brasil, o Dia Nacional do Homem, comemorado em 15 de julho desde 1992, está fortemente ligado ao incentivo à prevenção da saúde masculina….
Rolar para cima
Pular para o conteúdo