Acesso rápido

UTI Neonatal e Pediátrica

O Márcio Cunha é o único hospital da região a dispor de Unidades de Terapia Intensiva exclusivas a recém-nascidos e a crianças e adolescentes. São seis leitos de UTI Neonatal e quatro leitos de UTI Pediátrica, além de 20 leitos de Enfermaria de Cuidados Intermediários Neonatal. Todos os anos, cerca de 350 bebês prematuros e crianças com necessidades de cuidados especiais passam pelas mãos de uma equipe multiprofissional especializada, cujo objetivo não se limita simplesmente a salvar vidas. Mas, sim, a salvar vidas com qualidade para integrar a criança à sua família em boas condições de convívio na sociedade.

O atendimento, realizado por médicos, enfermeiras, técnicos em enfermagem, fonoaudiólogos, fisioterapeutas e psicólogos conta com o auxílio de equipamentos modernos, como incubadoras, berços aquecidos, monitores de pressão arterial, monitores de sinais vitais, oxímetros de pulso, carros transportadores de medicamentos e respiradores, garantindo o suporte necessário a bebês prematuros com dificuldades respiratórias, no tratamento de doenças graves e na recuperação cirúrgica dos pacientes.

Atendimento humanizado

O acompanhamento da equipe da UTI Neonatal e Pediátrica se estende após a alta para avaliação pediátrica e neurológica do bebê e suporte pré e pós-operatório. O Hospital também propicia a participação da família durante a internação do paciente, contribuindo para a humanização e a recuperação por meio de ações, como:

  • Permitir e incentivar a presença diária dos pais, incentivando o contato direto com o bebê
  • Sala de amamentação
  • Assistência quanto à importância do aleitamento materno, que visa a orientar as mães e os recém-nascidos em situações especiais e favorecendo a continuidade da amamentação após a alta hospitalar
  • Orientações sobre cuidados de higiene, administração de dieta e de medicamentos e o transporte com segurança dos recém-nascidos, prematuros ou com necessidades especiais

Resultados de primeiro mundo

A partir de participações em congressos e simpósios, da busca por novos conhecimentos praticados em outras instituições de referência e na literatura médica, da capacitação e do treinamento dos profissionais e, sobretudo, da aplicação de técnicas e procedimentos inovadores, a UTI Neonatal e Pediátrica do Hospital Márcio Cunha alcança índices considerados de países de primeiro mundo. A taxa de mortalidade em bebês prematuros de 500g a 1kg, por exemplo, reduziu à metade nos últimos anos.

Além de valorizar práticas que garantam ao paciente a melhoria da assistência e a recuperação mais rápida e segura no setor, há um grande esforço da equipe também em antecipar ações fora da UTI, como no Centro Obstétrico, por exemplo. Um dos resultados do conjunto de medidas adotadas para propiciar o amadurecimento dos pulmões e dos vasos do cérebro, além de reduzir infecções no intestino do bebê, é a ausência de registros de casos de enterocolite necrotizante aguda nos últimos três anos. Nesse mesmo período, também não se registra nenhum caso de retinoplastia da prematuridade, doença que causa cegueira em recém-nascidos.

A melhora das condições de nascimento do prematuro no Centro Obstétrico reduz a gravidade do paciente que chega à UTI Neonatal. No Hospital Márcio Cunha, 94% dos prematuros que nasceram entre 1 kg e 1,5 kg e 81% dos prematuros que nasceram entre 500 g e 1 kg sobrevivem. Se avaliarmos ainda com base em índices internacionais, a qualidade da assistência no Hospital Márcio Cunha é de nível internacional.

A taxa de infecção hospitalar da UTI Neonatal Pediátrica está em 13,4 por 1.000 pacientes/dia, menor que a taxa dos Estados Unidos, por exemplo, que é de 14,1. Isso influencia na diminuição do número de internações e de complicações, minimizando o retorno desses pacientes ao hospital após a alta.