Dietas para emagrecer podem causar danos à saúde como anemia, cansaço, queda de cabelo e tonturas

Nutricionista da Usisaúde-Usifamilia alerta para os riscos provocados pelas dietas milagrosas e dá dicas para quem deseja adotar uma alimentação mais saudável 

 

Com o início da estação mais quente do ano, não é difícil encontrar quem deseja perder alguns quilos para estar em forma e aproveitar as férias de verão. Com apenas um clique, uma infinidade de opções de dietas mágicas e dicas milagrosas surgem na tela do computador ou celular seduzindo quem está em busca de um emagrecimento rápido. No entanto, é preciso ter muito cuidado com as dietas tidas como mágicas, pois podem provocar sérios danos à saúde.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que cerca de 4,7% da população brasileira sofre de transtornos alimentares. A incidência é maior entre o público feminino, com sete a oito mulheres para cada homem diagnosticado com quadros como bulimia, anorexia, transtorno alimentar restritivo evitativo (TARE) e compulsão. Pesquisa realizada pelo Conselho Federal de Farmácia e Instituto Datafolha, aponta que 24% dos brasileiros já usaram alguma substância para emagrecer. Os dados são preocupantes, principalmente, quando chega o verão e o descontentamento com a imagem pode levar as pessoas a procurarem soluções imediatas e milagrosas.

A nutricionista da Usisaúde-Usifamilia, Diana Lopes Teixeira Drumond, alerta que a prescrição de dietas deve ser feita por um profissional capacitado, que levará em conta todos os fatores físicos, químicos e biológicos do paciente. “É muito comum encontrar opções de dietas que prometem um emagrecimento rápido e, muitas vezes, sem esforço. Essas dietas são extremamente restritivas e não consideram as particularidades de cada indivíduo. Não existe receita de bolo e as pessoas devem ficar atentas aos riscos que essas ações podem provocar à saúde”, alerta.

O nutricionista é um profissional multidisciplinar que possui uma escuta ativa e uma postura empática com paciente. “Mais do que impor uma dieta, é preciso ouvir os desejos do paciente e, juntos, planejar o melhor caminho, garantido a saúde e o bem-estar. A reeducação alimentar e a adoção de bons hábitos são os primeiros passos para o emagrecimento saudável. Nem sempre é um processo fácil, mas boa parte dos hábitos se fazem por meio da repetição na rotina das pessoas” explica Diana.

Uma dieta restritiva ou sem acompanhamento adequado pode causar efeitos colaterais, como tonturas, cansaço excessivo, episódios de fraqueza, dores de estômago, quedas de cabelo, unhas quebradiças, perda de massa magra (músculos), anemia, deficiência de vitaminas, dentre outros.

Dicas para um emagrecimento saudável

A nutricionista da Usisaúde destaca que as pessoas podem emagrecer comendo quase de tudo, desde que estejam atentas às porções e qualidade nutricional dos alimentos. “É sempre bom lembrar da prática: descascar mais e desembalar menos. Esse processo é essencial para conquistar uma alimentação mais rica e nutritiva, com aumento do consumo de alimentos in natura e redução dos industrializados. Importante também dar importância a mastigação correta, o consumo de água e seguir sempre as orientações do nutricionista”.

Confira sete dicas para uma alimentação mais saudável:

  1. Inclua na alimentação vegetais verdes escuros, frutas e cereais integrais, tais como aveia, farelos e farinhas ricas em fibras, para serem consumidos no dia a dia;
  2. 2. Aposte em bons alimentos fontes de carboidratos como arroz integral, quinoa, grão de bico, inhame, batata doce moranga, mandioca;
  3. Inclua alimentos ricos em gorduras boas, a exemplo do abacate, azeite, castanhas em geral;
  4. Opte por proteína animal de boa qualidade, sem excesso de gordura; racione o consumo proteico ao longo do dia
  5. Deixe suas refeições ainda mais coloridas e inclua pelo menos um alimento de cada cor por semana: verde, amarelo/laranja, vermelho, roxo e branco;
  6. Reduza o consumo de álcool, embutidos e gorduras saturadas, tais como bacon, presunto, salame, linguiça, enlatados;
  7. Pratique atividades físicas regularmente.

Postagens Relacionadas

Especialista da FSFX reforça a importância de exames regulares para diagnosticar doença silenciosa Celebrado no dia 26 de maio, o Dia Nacional de Combate…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo