7 dicas para cuidar de idosos

A chegada à terceira idade é cercada de desafios e descobertas, tanto para os idosos, quanto para aqueles que estão próximos, como familiares e amigos. Em função da fragilidade do corpo, alguns cuidados especiais são indispensáveis, pois auxiliam na manutenção de uma boa qualidade de vida, com saúde, afeto e dignidade. Pensando nisso, selecionamos sete dicas que ajudarão você a cuidar dessas pessoas queridas, que têm muito a nos ensinar com as suas experiências.

1. Estabeleça um bom relacionamento com a pessoa idosa

Uma das principais queixas das pessoas idosas é o fato de se sentirem solitárias, improdutivas e de não despertarem o interesse dos mais jovens. Portanto, procure criar uma conexão com as pessoas experientes. Uma forma de fazer isso é conversar sobre temas que sejam de interesse comum entre vocês.

Lembre-se: quem tem mais idade também possui mais experiência e, certamente, acumula informações e conhecimentos preciosos. Ao dar voz a elas, você aprende muito e, ao mesmo tempo, devolve-lhes o entusiasmo e a autoestima.

2. Leve o idoso para a realização de uma avaliação física e cognitiva

É fundamental que se tenha uma ideia precisa sobre as condições físico-mentais da pessoa idosa. A idade avançada pode trazer limitações físicas de diversas naturezas e é necessário saber quais são as particularidades que acometem o idoso.

A partir dessa avaliação, é possível saber quais atividades são as mais adequadas para a pessoa, ao mesmo tempo em que conseguimos perceber qual é o grau de autonomia que ela apresenta. Pessoas com doenças neurológicas, como a doença de Alzheimer, por exemplo, são mais dependentes e requerem maior atenção.

3. Crie uma rede de parentes e amigos que possam se revezar

Por mais que a pessoa idosa seja querida e amada, os cuidados exigem tempo e esforços de familiares e amigos. Em uma época em que todos têm múltiplas obrigações pessoais e profissionais, é importante que filhos, netos, irmãos e outras pessoas que se dispuserem se revezem nesses cuidados para que ninguém se sinta sobrecarregado, evitando, assim, desgastes e estresse.

Ao mesmo tempo, na perspectiva do idoso, é muito importante que ele se sinta querido e valorizado pelas pessoas.

4. Minimize os riscos de quedas e de outros acidentes

Em virtude da diminuição da mobilidade e da velocidade dos reflexos, a pessoa idosa corre maiores riscos de sofrer quedas e outros acidentes no âmbito doméstico. Para minimizar, algumas adaptações são importantes, como o uso de calçados que se adaptem bem aos pés do idoso, mantendo-os firmes, (chinelos, por exemplo, devem ser evitados), instalação de barras de apoio nos banheiros, especialmente nos locais de banho, colocação de pisos (ou frisos) antiderrapantes, melhoria da iluminação e eliminação de obstáculos, como móveis ou objetos sem utilidade.

Dessa forma, a pessoa idosa poderá se deslocar com muito mais segurança e desenvoltura em seu ambiente.

5. Promova o acompanhamento médico adequado

Por maiores e melhores que sejam os cuidados que possamos prestar pessoalmente, não substitui o atendimento de um médico especializado. Assim, é importante que o idoso tenha um médico de referência que o acompanhe e conheça toda a sua história e se necessário e indicado o encaminhe para especialistas.

6. Organize uma agenda clara e rígida para a administração de medicamentos

Muitos idosos necessitam ingerir medicamentos diariamente. Por isso, é imprescindível que haja um controle sobre a administração desses medicamentos.

Construa uma agenda bem clara, lembretes e compartimentos bem delimitados para o armazenamento e a utilização desses remédios, de modo a minimizar esquecimentos ou excessos da dose.

7. Esteja atento para evitar assaduras e lesões por pressão

Atenção aos idosos que passam o maior tempo sentado ou deitado por limitação parcial ou total dos movimentos. Muitos deles farão uso de fralda e o contato da pele com o meio úmido e com componentes da urina pode provocar assadura e/ou desencadear lesão por pressão. Além da pressão do corpo sobre a superfície podendo levar ao surgimento de lesão por pressão. Dessa forma, alguns cuidados são fundamentais:

– fazer a mudança de posição do idoso a fim de aliviar a pressão principalmente sobre as proeminências ósseas;

– utilizar almofadas, travesseiros ou coxins para diminuir a pressão nas proeminências ósseas;

– não massagear áreas de proeminência óssea nem hiperemiada (vermelha);

– não deixar a pele em contato com fezes, urina ou secreções;

– manter a cama sempre limpa e seca;

– hidratar a pele;

– usar técnicas corretas para movimentar o idoso no leito ou cadeira. Não arrastar ou puxar o idoso sobre o leito ou cadeira.

– manter boa nutrição e hidratação oral;

– não utilizar almofadas com orifício no meio (roda d’água), pois aumentam a pressão na região central.

Postagens Relacionadas

O dia 21 de junho marca o início do inverno, no Brasil, e é também quando se celebra o Dia Nacional de Controle da…
Condição crônica atinge população mais jovem devido a estilo de vida pouco saudável A hipertensão arterial, popularmente conhecida como pressão alta, é uma condição…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo