Importância do acompanhamento Pré-Natal: informações que não podem faltar

Conteúdo atualizado em 03/07/2020.

O que é e por que fazer acompanhamento pré-natal?

É o acompanhamento da gestante desde o momento da confirmação da gravidez até o período do parto e é essencial para a saúde da mãe e do bebê. 

O pré-natal representa um papel fundamental na prevenção e/ou detecção precoce de doenças tanto maternas como fetais, permitindo um desenvolvimento saudável do bebê e reduzindo os riscos da gestante.

Além de auxiliar a gestante a manter uma gravidez mais saudável, é durante este período que serão esclarecidas dúvidas sobre o corpo da mãe, os preparativos para o parto e os cuidados no pós-parto para a mulher e o recém-nascido.

Durante a gestação, o corpo da mulher passa por diversas transformações fisiológicas a fim de abrigar e fornecer todos os nutrientes que o feto precisa para o crescimento e desenvolvimento. É muito importante monitorar, por exemplo, a pressão arterial, o ganho de peso, a alimentação, o crescimento do bebê intrauterino e sua movimentação. Estes parâmetros indicarão se está tudo bem com a mãe e o bebê.

Algumas gestantes são consideradas de risco e precisam de uma atenção especial, podendo apresentar doenças crônicas, como diabetes, hipertensão, alterações na tireoide ou alguma outra doença prévia ou identificada durante a gestação. Essas informações devem ser levadas em consideração durante o acompanhamento pré-natal.

Como funcionam as consultas no pré-natal?

A primeira consulta é mais longa e o médico fará uma avaliação completa do histórico de saúde da gestante, como doenças preexistentes, cirurgias e gestações anteriores, hábitos de vida e alimentação. Ele também atua para tirar dúvidas e orientá-la sobre as mudanças no corpo, por exemplo, processo natural da gestação.

As demais consultas serão mais direcionadas, sendo em todas elas verificado o peso e a pressão arterial da gestante, as medidas do útero e os batimentos cardíacos do bebê.

Estes dados deverão ser anotados no cartão pré-natal, juntamente com os resultados dos exames laboratoriais e ultrassonográficos realizados. Eles servem para acompanhar o desenvolvimento do feto e do período gestacional como um todo. O médico obstetra responsável pela gestante deve ainda ficar atento às vacinas e orientar quanto a importância de se manter o cartão de vacinas em dia.

Quais os exames mais comuns no pré-natal?

Além do exame físico, com acompanhamento da pressão arterial e ganho de peso, existe uma lista de exames laboratoriais que gestante deve fazer, alguns básicos e outros complementares, após avaliação individual da gestante. São eles:

– Tipagem sanguínea e fator Rh

– Coombs indireto (se a gestante tem Rh negativo e o pai do bebê tem Rh positivo)

– Hemograma completo

– Eletroforese de hemoglobina

– Glicemia

– Exame de urina e urocultura

– Exame preventivo de câncer de colo de útero (se for necessário)

– Teste rápido de sífilis e VDRL

– Teste de HIV

– Testes para hepatite B e C

– Sorologia para toxoplasmose, rubéola e citomegalovírus

– Exame qualitativo de urina e urocultura

– Parasitológico de fezes

– Exame da secreção vaginal (se houver indicação clínica)

– Teste de malária (realizado em todas as gestantes da Região Amazônica)

– Teste de tolerância oral a glicose (dependendo dos resultados iniciais do exame de glicemia)

Alguns desses exames precisarão ser repetidos algumas vezes durante a gravidez. 

A Organização Mundial da Saúde preconiza a realização de pelo menos três exames ultrassonográficos na gestação. Na prática obstétrica, em geral, são solicitadas quatro ultrassonografias ao longo da gestação, podendo ser obstétrica ou morfológica, dependendo da idade gestacional.

Baseado na avaliação clínica e interpretação dos exames é possível prosseguir com as orientações adequadas e verificar a necessidade de suplementação específica, bem como informar sobre a alimentação adequada e atividade física regular (quando não houver contraindicação).

Quais as vacinas indicadas para o pré-natal?

É importante que, sempre que possível, antes de engravidar a mulher esteja com o calendário vacinal em dia. O objetivo da vacinação da gestante é diminuir a transmissão da mãe para o bebê após o parto e a proteção relativa do recém-nascido através dos anticorpos maternos via transplacentária. As obrigatórias são:

Vacina contra a gripe (influenza)

Vacina antitetânica dTpa

Vacina contra Hepatite B

Mas esta lista pode variar de acordo com o histórico da gestante.

Como o pré-natal influencia na hora do parto?

O acompanhamento pré-natal só termina quando o parto acontece, e é de extrema importância para a mãe e para o bebê, veja as orientações a seguir:

– Não falte às consultas

Não deixe de realizar os exames solicitados

Siga as orientações da equipe de saúde.

Tenha o cartão de acompanhamento pré-natal sempre em mãos e peça ao seu médico que o mantenha preenchido e legível (por meio dele é possível avaliar também a melhor conduta para o momento do parto).

Durante todo o pré-natal a gestante e seu obstetra irão avaliar juntos o que gostaria ou não que acontecesse em seu parto. Qual o tipo (natural ou cesariana), local, quem você gostaria de ter ao seu lado, crenças religiosas e como gostaria (ou não) de aliviar a dor. 

O parto é uma escolha da mulher, procure se informar e equipes para te acompanhar neste momento tão importante. Hoje temos equipes de médicos obstetras, enfermeiros obstetras, doulas, e outros profissionais trabalhando com evidência científica e segura com o objetivo de preparar a mulher e proporcionar a experiência de um parto adequado.

O plano de parto também é importante ser discutido durante o pré-natal. Clique neste link e acesse o modelo de plano parto: http://atituderimacomsaude.com.br/elaborando-o-plano-de-parto/

Importante também visitar antes a maternidade, saiba mais acessando este link: http://atituderimacomsaude.com.br/como-escolher-maternidade-para-o-nascimento-do-seu-bebe/

O parto é um momento muito especial, que marca uma transição na vida da mulher e da família. Por isso, é importante vivenciar este momento plenamente.

Agora que você já está um pouco mais preparada para a jornada da gestação, não deixe de conhecer outras maneiras de se manter saudável na gestação. Veja também estes artigos sobre a gestação:

http://atituderimacomsaude.com.br/o-desenvolvimento-do-bebe-e-as-transformacoes-na-gestante-2/
http://atituderimacomsaude.com.br/como-amenizar-algumas-queixas-comuns-na-gestacao/

Referências:

https://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2198-importancia-do-pre-natal

https://www.fadc.org.br/noticias/entenda-a-importancia-do-pre-natal

https://saude.gov.br/saude-de-a-z/gravidez

https://aps.bvs.br/aps/que-exames-devem-ser-solicitados-no-acompanhamento-do-pre-natal-de-baixo-risco/

https://www.mcsprogram.org/wp-content/uploads/2018/07/WHOMCSPUltrasoundBrieferA4PG.pdf

Postagens Relacionadas

Médico do Hospital Márcio Cunha alerta sobre a privação do sono que pode levar a distúrbios como depressão, insônia e apneia. O sono adequado…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo