Atividade física após os 60 anos evita doenças e promove envelhecimento saudável

Pesquisa aponta que quem realiza exercícios físicos moderados após os 60 pode reduzir risco de morte em 33%. Após os 70 anos, esse índice chega a 70%

Com o avanço dos tratamentos médicos e tecnologias cada vez mais inovadores, a população do Brasil e do mundo está vivendo mais. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população idosa já representa 14,7% da população do Brasil, um aumento de 39,8% entre 2012 a 2021. Uma estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) revela que o Brasil será o sexto país com o maior número de idosos no mundo até 2025.

A atividade física age de forma benéfica no organismo. Os exercícios liberam neurotransmissores, como a endorfina e a serotonina, substâncias do prazer, que motivam o cérebro a continuar fazendo atividade física, bem como diminuem a ansiedade, melhoram o humor, o sono e a saúde mental.

“A população brasileira está envelhecendo. Se as pessoas assumirem uma postura preventiva e buscarem praticar exercícios físicos, pode contribuir muito para um envelhecimento com mais qualidade de vida”, comenta Nicolas Drumond Carvalho, médico de família da operadora de planos de saúde – Usisaúde.

O aposentado Orlando Procópio dos Santos, 66 anos, é um exemplo de que nunca é tarde para se exercitar. Foi somente quando estava prestes a completar 60 anos que foi convencido pela sua médica a entrar para uma academia. “Eu nunca gostei, achava coisa de gente rica ou com muito tempo. Quando era mais novo, a única coisa que eu fazia era jogar esporadicamente um futebol com os amigos”, lembra.

Incentivado a se exercitar, Orlando passou a frequentar a academia três vezes por semana. “Tudo melhorou. Emagreci cerca de 20kg, melhorei a autoestima, passei a me socializar mais e já não tenho depressão. Isso sem falar nas dores na coluna que reduziram bastante”, comemora. Ele também relata outras vantagens da atividade física. “Estou com diabetes controlada, ganhei preparo físico e me sinto em forma. Todos os meus exames estão muito bons”, conclui.

 

Bem-estar

Que a prática de atividade física previne doenças e está associada a um envelhecimento saudável é senso comum entre a população. No entanto, quem passou dos 60 anos, ainda enfrenta receios e tabus para se movimentar. Os principais questionamentos são: não estou velho para praticar atividades físicas? Posso fazer exercícios mesmo com essa idade? Não é arriscado? Posso me machucar?

Para o médico da família, a atividade física é indicada para qualquer idade e, principalmente, para os idosos. “No caso da terceira idade, é preciso ter um acompanhamento mais rigoroso, mas nada impede a prática de exercícios. Pelo contrário, quem se movimenta nessa fase evita uma série de doenças e pode ter uma vida mais saudável”, pontua Carvalho.

Prevenção

O importante é movimentar-se. A recomendação da OMS, a partir dos 65 anos, é que a atividade física seja realizada pelo menos três vezes por semana em uma intensidade que varie de acordo com as condições de saúde e de mobilidade de cada indivíduo. O ideal, segundo a organização, são 150 minutos de atividade moderada ou 75 minutos de atividades intensas por semana.

Na terceira idade, o organismo sofre com danos causados pelo tempo, como o enfraquecimento dos músculos, redução da agilidade e flexibilidade, perda de equilíbrio e da resistência muscular. Quem pratica exercícios físicos regularmente consegue amenizar essas perdas e levar uma vida com mais saúde e bem-estar.

Estudo realizado por pesquisadores britânicos e publicado no British Journal of Sports Medicine demonstrou a importância da atividade física para idosos. Segundo o estudo, 30 minutos de atividades de baixa intensidade diária já são suficientes para reduzir o risco de morte em 17% das pessoas idosas. Em atividades moderadas ou intensas é de 33%. Depois dos 70 anos, a redução no risco de morte pode alcançar os 70%

A Usisaúde

Mantendo-se entre as maiores operadoras de planos de saúde do país, entre as maiorers de Minas Gerais e a maior em número de clientes no Vale do Aço, com mais de 210 mil vidas sob seus cuidados, a Usisaúde atua no segmento de saúde suplementar, ofertando planos de assistência médica, odontológica, saúde ocupacional e transporte aero médico em vários estados brasileiros. É pioneira no estado a alcançar a certificação norma ISO 9001, além de manter a certificação Nível 1 da Resolução Normativa 277 da Agência Nacional de Saúde Suplementar. A operadora possui atendimento nacional nas urgências e emergências, por meio da Rede Abramge e Filantrópicas, além de desenvolver estratégias inovadoras de promoção da saúde e de atenção primária, sempre com foco na satisfação do cliente.

Postagens Relacionadas

Segundo dados do Relatório Mundial sobre Visão da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 2,2 milhões de pessoas no mundo têm deficiência visual ou cegueira e,…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo