Como alcançar e manter uma boa saúde sexual

Considerada por médicos e biólogos como uma das necessidades básicas do ser humano, a atividade sexual é cercada de mitos, tabus e parâmetros impostos pela sociedade e pelos meios de comunicação. No entanto, a vida sexual do indivíduo é muito particular e, como as pessoas são diferentes, os estímulos e as preferências na hora do sexo também variam muito.

Seja como for, podemos observar alguns padrões (sociais e biológicos) que têm prejudicado a saúde sexual da população de uma maneira geral. A falta de tempo, o estresse, a obesidade, o diabetes, a má alimentação e os transtornos psicoemocionais (como a depressão) são alguns deles. Para auxiliar mulheres e homens a tornarem o sexo mais rico, saudável, prazeroso e realizador, apresentamos algumas sugestões que podem ser muito úteis. Confira!

  • Dedique um tempo para o sexo

É importante ter em mente que o sexo não é um elemento supérfluo em nossas vidas. O exercício da sexualidade é uma necessidade biológica e emocional que influencia diretamente em nosso metabolismo. Assim, da mesma forma que encontramos tempo para nos alimentar, estudar, frequentar academias e comparecer a eventos sociais, também devemos, juntos aos nossos parceiros, reservar um tempo para esse momento tão importante de intimidade.

  • Conheça bem seu (sua) parceiro (a) e seja generoso (a)

Sexo é troca. Quando duas pessoas compartilham seus corpos mutuamente, elas devem ter a consciência de que o desejo e o prazer não podem seguir uma via de mão única. É necessário saber estimular e provocar boas sensações à pessoa que está junto a você, da mesma forma que ela será capaz de retribuir. Para isso, é importante conhecer as preferências, as fantasias, as limitações e as vontades do (a) parceiro (a). Se for necessário, pergunte, sugira, comente, sempre de forma gentil e carinhosa.

  • Pratique atividades físicas

Com apenas 30 minutos de caminhada por dia, o homem reduz em até 41% o risco de desenvolver disfunção erétil, de acordo com um estudo publicado pela Universidade de Harvard. Paralelamente, exercícios físicos moderados são capazes de devolver uma boa performance sexual para homens obesos e de meia idade.

  • Alimente-se adequadamente

Uma alimentação rica em frutas, verduras, grãos, legumes e peixes também reduz o risco de disfunção erétil. A deficiência de vitamina B12, traz prejuízos para a medula espinhal, o que pode provocar um “curto-circuito” nos nervos responsáveis pelos estímulos de desejo. Portanto, uma dieta que contenha frutos do mar, salmão, truta, cereais e iogurte é amplamente recomendada.

  • Fique de olho na balança

A obesidade eleva significativamente os riscos de doenças vasculares e diabetes, duas das maiores causas de impotência sexual no homem. Quanto às mulheres, ainda que o excesso de peso não signifique, necessariamente, diminuição da libido, é comum que elas se sintam constrangidas no momento do sexo em função da autoestima. Portanto, uma alimentação saudável e a adoção de atividades físicas podem contribuir para a saúde das pessoas, inclusive a saúde sexual.

Postagens Relacionadas

A Fundação São Francisco Xavier estará presente em mais uma edição da tradicional feira de negócios do Vale do Aço, a Expo Usipa, que…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo