Como amenizar algumas queixas comuns na gestação

Conteúdo atualizado em 30/07/2020.

As alterações fisiológicas da gestação podem produzir manifestações indesejadas no organismo da mulher. Estes incômodos costumam ser transitórios e, muitas vezes, específicos de cada período da gestação. A maioria das queixas diminui ou desaparece sem o uso de medicamentos. Se algum deles persistir relate para o seu médico.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para que você entenda como amenizar queixas comuns na gestação. Continue a leitura e saiba mais! 

Náuseas e vômitos

As náuseas e os vômitos costumam surgir ao redor da quarta semana de gestação. Em 90% dos casos, o quadro regride quando a gestação atinge 20 semanas. As causas das náuseas e dos vômitos não são bem definidas. Para contornar esses sintomas é recomendado:

  • Consumir uma dieta fracionada (5 a 6 refeições leves ao dia); 
  • Evitar frituras, alimentos gordurosos e com cheiros fortes ou desagradáveis; 
  • Evitar líquidos durante as refeições e hidratar-se entre as refeições;
  • Ingerir alimentos sólidos e salgados pela manhã, como torradas e bolacha de água e sal; 
  • Ingerir frutas cítricas;
  • Ingerir de preferência alimentos gelados.

O uso de vitaminas com ação anti-náuseas como a piridoxina (Vitamina B6) e ingestão do gengibre (pequena quantidade), que possui leve ação antiemética, deve ser avaliado individualmente.

Queimação (azia)

A azia é aquela sensação de queimação que começa na garganta e vai descendo até o estômago. Ela é causada, em gestantes, pelo aumento da progesterona no sangue e pela compressão do estômago pelo útero, principalmente no último trimestre. 

Para reduzir a sensação de queimação, é recomendado:

  • Evitar o consumo de alimentos gordurosos, condimentados, com cafeína (como café, chá preto, chocolate) e refrigerantes; 
  • Adotar uma dieta fracionada (5 a 6 refeições leves ao dia);
  • Evitar líquidos durante as refeições; 
  • Evitar deitar-se logo após as refeições; 
  • Elevar a cabeceira da cama.

Constipação intestinal e hemorroida

A constipação intestinal (ou intestino preso) é causado também pela ação da progesterona, que provoca o relaxamento dos músculos intestinais e deixa o intestino mais preguiçoso. É mais frequente após a 20ª semana de gestação e as recomendações para minimizar essa queixa são:

  • Aumentar o consumo de fibras, presentes em diversos alimentos, como: hortaliças, frutas como ameixa, mamão e laranja, cereais integrais e sementes como chia e linhaça;
  • Aumentar a ingestão de água, caso contrário, com o aumento do consumo de fibras, o intestino pode ficar ainda mais preso;
  • Praticar atividade física, para estimular a movimentação intestinal, desde que não tenha contraindicação e seja com acompanhamento profissional;
  • Criar um hábito sanitário diário.

As hemorroidas podem surgir em decorrência do aumento da circulação de sangue e, consequentemente, do aumento das veias do ânus, e em consequência da constipação intestinal. Isso acarreta alguns incômodos no local, como ardência, dor e prurido intenso (coceira). 

Quando a gestante apresenta essa queixa é importante, além dos cuidados com alimentação e hidratação:

  • Evitar coçar o local para não agravar as fissuras; 
  • Higienizar o local, principalmente quando defecar;
  • Atentar para os cuidados na hora da limpeza: é recomendado não utilizar papel higiênico seco, não sendo possível, utilizar de forma suave, lavar com ducha higiênica ou ainda limpar com lenço umedecido.
  • Evitar ficar muito tempo sentada; 
  • Evitar andar por um tempo prolongado; 

Cólicas

As cólicas durante a gravidez são comuns especialmente no início da gestação, devido a adaptação do corpo da mãe ao crescimento do bebê. No entanto, conhecer meios para amenizar esse problema permitirá com que você passe essas semanas de forma mais tranquila, reduzindo o estresse e a ansiedade.

Atividades físicas leves podem ser incrementadas em sua rotina, como a ioga e o alongamento. Como benefício, você terá a oportunidade de evitar o sedentarismo, além de melhorar a concentração para o trabalho, proporcionar ganhos para a respiração e também promover o bem-estar e a qualidade de vida.

Massagens também permitirão diminuir os inchaços e relaxar os músculos. Não se esqueça, ainda, de variar a postura e a posição do corpo, especialmente para as mamães que trabalham sentadas. Assim, evita a sobrecarga de um músculo específico. 

Dor nas mamas

Essa dor pode ser, inclusive, um dos primeiros sinais da gravidez. Geralmente, se inicia entre a primeira e a segunda semana da gravidez, o que ocasiona em maior sensibilidade e sensação de peso nas mamas.

Em alguns casos, também pode ser observado o escurecimento dos mamilos e/ou o aumento do seu diâmetro, mudanças próprias do corpo associadas às alterações hormonais.

Dor nas costas

Com o passar dos meses, a barriga vai crescendo e as dores nas costas podem surgir como um incômodo para as gestantes. Desde que não haja outros sinais que apresentem um problema maior (como febre e sangramento vaginal), é uma queixa comum entre as grávidas.

Algumas atividades podem ser realizadas para diminuir esse desconforto, como a prática de alongamentos e também de exercícios físicos de baixo impacto, além de usar compressas de água quente na região dolorida. Nesse caso, as massagens também trarão um alívio eficaz, relaxando e reduzindo a tensão dos músculos.

Ao deitar, utilize travesseiro entre as pernas para estabilizar a coluna, além de preocupar-se em utilizar sapatos anatômicos e adequados. Evite levantar pesos e, assim como no caso das cólicas, mantenha uma boa postura. 

Corrimento vaginal 

O aumento da secreção vaginal (corrimento) é comum na gestação, principalmente entre o 2º e o 3º trimestre, devido às mudanças peculiares da gravidez, como a elevação do fluxo sanguíneo na região vaginal, hidratação e as alterações hormonais, principalmente do estrogênio. 

Para lidar com o corrimento vaginal e manter a saúde da região íntima, alguns cuidados podem ser adotados, tais como:

  • Manter a higienização adequada, utilizando sabonetes neutros; 
  • Evitar utilização de tampões vaginais ou absorventes internos;
  • Evitar utilização de ducha vaginal; 
  • Preferir calças largas, saias ou vestidos. 

O corrimento tem aspecto similar ao que ocorre na mulher não grávida, portanto, se observar mudanças no aspecto do corrimento, como na sua coloração, no odor e na consistência natural, informe seu médico, pois pode indicar presença de infecções ou doenças ginecológicas.

Neste conteúdo, você pôde conhecer algumas queixas comuns na gestação, além de dicas específicas para evitá-las. O ideal é consultar o seu médico regularmente, apresentar as principais modificações ocorridas ao longo das semanas, além de verificar como está a saúde do bebê. 

Gostou deste conteúdo? Curta nossa página no Facebook e fique por dentro de nossas dicas e novidades! 

Referências:

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Gravidez: o que é, sintomas, complicações, tipos e prevenção. Disponível em: https://saude.gov.br/saude-de-a-z/gravidez. Acesso em: 23 jul. 2020. 

SOCIEDADE BRASILEIRA DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE (SBMFC). Corrimento Vaginal. Disponível em: https://www.sbmfc.org.br/corrimento-vaginal Acesso em: 23 jul. 2020.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Caderneta da gestante. Disponível em: http://www.saude.gov.br/images/pdf/2018/agosto/31/Caderneta-da-Gestante-2018.pdf Acesso em: 23 jul. 2020.

FEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES BRASILEIRAS DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA (FEBRASGO). Êmese da gravidez. Disponível em: https://www.febrasgo.org.br/media/k2/attachments/SeyrieZ-ZEmeseZnaZGravidezZ-ZwebZ-ZversoZfinal.pdf. Acesso em: 23 jul. 2020.

Postagens Relacionadas

O dia 21 de junho marca o início do inverno, no Brasil, e é também quando se celebra o Dia Nacional de Controle da…
Condição crônica atinge população mais jovem devido a estilo de vida pouco saudável A hipertensão arterial, popularmente conhecida como pressão alta, é uma condição…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo