Como podemos ajudar alguém da família que sofre de depressão

Tempo de leitura: 6 minutos

Conteúdo atualizado em 16/09/2020.

O Setembro Amarelo, campanha voltada para a conscientização da população em relação à prevenção ao suicídio, consiste em um conjunto de ações de profissionais da saúde e também da sociedade de modo geral, para que as pessoas possam ter uma conversa mais aberta sobre o tema. A depressão é a doença mental mais associada ao suicídio, a qual amigos e familiares podem perceber os primeiros sinais de alerta e também serem fundamentais no auxilio com o tratamento.

A seguir apresentaremos algumas informações, sobre o que é, como identificar e o que fazer quando alguém está com a depressão. Continue a leitura e saiba mais!

O que é depressão?

A depressão é uma doença da mente e do corpo, que pode afetar qualquer pessoa, e que possui tratamento. É muito comum confundirmos a tristeza com a depressão, mas é preciso entender que se trata de conceitos diferentes, e que a depressão é mais do que “sentir-se triste por alguns dias”. A tristeza é um sentimento universal e natural, que expressa dor ou sofrimento, mas é passageira. A depressão é uma doença que se caracteriza por afetar o estado de humor, com o predomínio anormal do sentimento de tristeza e redução da disposição e vontade de fazer tudo.

Em geral, a pessoa que está com depressão fica irritada e apresenta dificuldade em sentir prazer nas atividades que antes gostava. A diminuição da capacidade de concentração pode prejudicar o desempenho em funções como o trabalho e o estudo.

Além disso, ela fica constantemente desanimada, pode perder o apetite, sentir angústia e aflição. Pode querer ficar todo o tempo sozinha, isolada em um ambiente e apresentar dificuldades para se relacionar. Pensamentos sobre suicídio também podem acontecer.

A causa da depressão ainda é incerta, e pode decorrer de inúmeros fatores, combinados ou não.  Sabe-se que traumas ou perdas podem aumentar a chance de um indivíduo ficar depressivo, assim como dificuldades em lidar com estresse, álcool, drogas, histórico familiar, baixa autoestima ou pessimismo extremo podem ser fatores de risco.

A maioria das pessoas em nossa sociedade ainda tem dificuldade em reconhecer que a depressão é uma doença. Justamente pelo preconceito, as pessoas com o diagnóstico não querem ser reconhecidas como alguém que tem transtorno mental, com o receio de serem consideradas como fracas ou descontroladas, o que, muitas vezes, dificulta ou retarda o tratamento. No caso de crianças, a família se sente muito culpada e exposta.

Como identificar a depressão?

Um dos desafios da identificação e diagnóstico da depressão é o fato de que ela nem sempre se manifesta da mesma forma nas pessoas. No entanto, há sintomas comuns que podem ser observados, como:

  • sensação persistente de tristeza, angústia e/ou vazio;
  • desânimo e choro;
  • desesperança e pessimismo;
  • perda da capacidade de sentir prazer;
  • inquietação, ansiedade ou irritabilidade;
  • falta de sentido na vida;
  • insegurança, medos e indecisões;
  • baixa autoestima;
  • diminuição da libido;
  • perda ou aumento do apetite e do peso;
  • alterações gastrointestinais;
  • insônia ou sonolência excessiva;
  • dores crônicas ou sintomas físicos difusos e persistentes;
  • preocupação com doenças;
  • delírios e alucinações em casos graves;
  • pensamentos sobre morte ou suicídio.

O que fazer quando alguém está deprimido?

Quando achar que você ou outra pessoa possui alguns destes sintomas, não hesite em procurar ou indicar ajuda profissional. Existem tratamentos eficazes para a depressão, com medicamentos e psicoterapia, dependendo do diagnóstico e gravidade dos sintomas. Não sofra sozinho, procure ajuda!

Diálogo

Manter o diálogo com uma pessoa deprimida é o primeiro passo para que você possa auxiliá-la de forma positiva. Além disso, é por meio de manifestações verbais que amigos e familiares podem identificar alguns sinais com tendência ao suicídio.

Caso o indivíduo volte continuamente a falar sobre a própria morte e apresentar de forma mais constante alguns outros sintomas da depressão (como o isolamento social e redução do autocuidado), é preciso ter ainda mais atenção. Não se deve, de forma alguma, falar que a depressão é bobagem. Seja um bom ouvinte e tenha empatia com aquele momento.

Não feche os olhos. Não buscar ajuda contribui para o agravamento do estado emocional, o que pode levar a pensamentos suicidas e até mesmo ao ato.

Aprendizado sobre o assunto

Como qualquer outra doença, muitas vezes não temos informações precisas sobre o assunto. Por essa razão, o ideal é que busquemos por conhecimento antes de oferecer apoio a quem está com depressão. Existe uma lista ampla de livros, artigos, vídeos e outros materiais que tratam sobre o tema, explicando até mesmo sobre as maneiras mais indicadas de agir com seu amigo ou familiar.

Autoconhecimento

Para ajudar uma pessoa em um momento de depressão, também é preciso ter autoconhecimento. Assim, você saberá lidar melhor com as próprias emoções, e conseguirá oferecer o apoio adequado.

A saúde mental não pode estar desconectada da saúde do corpo, porque saúde é uma só. Busque fazer atividades que te deem prazer. Encontre com pessoas que você gosta. Cuide de você.

Tratamento

Ninguém melhor do que um profissional da saúde para lidar com essa doença. Nesse sentido, a família e os amigos devem orientar a busca por ajuda. Dessa forma, haverá uma análise cuidadosa de diferentes aspectos no quadro clínico, como comportamento, atenção, humor, entre outros, possibilitando um foco preciso para o tratamento.

Neste conteúdo, explicamos os sintomas de depressão, além de orientações sobre como lidar com a depressão. Ter empatia e mostrar-se presente é um dos pontos mais importantes nesse sentido. Além disso, não deixe de buscar por conhecimento sobre o tema, pois ele será essencial ao lidar com a situação.

Para conferir outros conteúdos sobre saúde mental, continue no blog e confira nossos artigos!

Referências:

AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR (ANS). Depressão. Disponível em: https://www.ans.gov.br/temas-de-interesse/depressao. Acesso em: 04 set. 2020.

CENTRO DE VALORIZAÇÃO DA VIDA (CVV). Setembro Amarelo, mês de prevenção do suicídio. Disponível em: https://www.cvv.org.br/blog/setembro-amarelo-mes-de-prevencao-do-suicidio/. Acesso em: 04 set. 2020.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Depressão: causas, sintomas, tratamentos, diagnóstico e prevenção. Disponível em: https://saude.gov.br/saude-de-a-z/depressao. Acesso em: 04 set. 2020.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU) BRASIL. Eu tenho um cachorro preto e seu nome é depressão. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=DzU63rT4L5Y. Acesso em: 04 set. 2020.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE. Depressão. Disponível em: https://www.sbmfc.org.br/depressao/. Acesso em: 04 set. 2020.

Postagens Relacionadas

Médico do Hospital Márcio Cunha alerta sobre a privação do sono que pode levar a distúrbios como depressão, insônia e apneia. O sono adequado…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo