Dezembro vermelho: Entenda como se proteger e evitar a transmissão do HIV

Tempo de leitura: 8 minutos

Conteúdo atualizado em 23/12/2021

Diversas campanhas acontecem ao longo do ano chamando atenção para a importância da prevenção de doenças graves. Assim é o Dezembro Vermelho que alerta para a necessidade de proteção para evitar a transmissão do HIV. 

O vírus é responsável pelo desenvolvimento da AIDS, uma doença que mesmo com o avanço das alternativas de tratamento e controle, é ainda incurável. Por isso, a campanha traz mobilização, conhecimento e conscientização sobre os cuidados preventivos. 

Neste post você vai entender o que é o HIV, os sintomas, diferença para a AIDS e formas de prevenção. Continue lendo e veja também sobre o diagnóstico, tipos de tratamento, mitos relacionados ao vírus e à doença, bem como o foco da campanha Dezembro Vermelho!

O que é o HIV?

HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana, causador da Síndrome da Imunodeficiência Humana conhecida pela sigla AIDS. É um vírus que ataca o sistema imunológico, o grande responsável pela defesa do organismo.

Quando instalado, os linfócitos T CD4 + são os mais atingidos ocorrendo um processo de alteração do DNA o que gera a multiplicação do HIV. Com a proliferação, o vírus passa a buscar mais linfócitos para ampliar a abrangência da infecção.

Quais os sintomas do HIV no corpo?

Em pessoas infectadas, o vírus ataca o sistema imunológico, o responsável por defender o nosso organismo de doenças. Com isso, o organismo fica debilitado e passa a reagir de forma diferente, com sintomas semelhantes aos de uma gripe, como:

  • Febre constante
  • Aumento dos gânglios linfáticos
  • Garganta inflamada
  • Mal-estar
  • Erupção cutânea / assadura

De modo geral, as manifestações começam após 2 a 4 semanas da exposição podendo durar alguns dias ou semanas, entretanto, só por esses sintomas não é possível determinar que uma pessoa esteja infectada pelo HIV. Isso porque, muitos não apresentam qualquer sintoma pelo período de 10 anos ou até mais.

O mais adequado é que, quem esteve em situação de risco e propensa à contaminação pelo HIV, persistindo os sintomas ou surgindo outros característicos de enfraquecimento do sistema imunológico, procure orientação médica e realização do exame – o diagnóstico precoce é fundamental para início do tratamento e maior expectativa e qualidade de vida.

Outros sintomas não associados à gripe também podem ser indícios de contaminação do HIV, o que depende da fase e estágio em cada paciente:

  • Crescimento do baço e do fígado
  • Inflamação das meninges
  • Distúrbios no coração, esôfago e intestino

Qual a diferença entre HIV e AIDS?

Ter o HIV não significa necessariamente ter a AIDS. A AIDS é a doença causada pelo vírus em seu estágio mais avançado e surge quando a pessoa tem seu sistema imunológico fragilizado e as células de defesa não conseguem impedir sua manifestação.

Há muitos soropositivos (pessoas infectadas pelo vírus) que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença.

No entanto essas pessoas podem transmitir o vírus por meio de relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou, até mesmo, de mãe para filho, durante a gravidez e a amamentação. Por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações.

Quais são as formas de prevenção da doença?

A maneira mais comum de contaminação pelo vírus HIV é por relações sexuais sem proteção. Atualmente, não existem mais grupos de risco e sim comportamentos de risco, como os listados anteriormente.

Embora muitas ações sejam realizadas pelo Ministério da Saúde e outros órgãos competentes, ainda são frequentes os registros de novos casos.

Devemos ressaltar o fato de que o vírus não é transmitido somente no contato de secreções vaginais ou sêmen, mas que, também, pode ser transmitido para o parceiro por meio de sexo oral (embora as chances sejam menores) e anal.

Sendo assim, a melhor forma de prevenção ainda é a camisinha, que deve ser usada durante todo o ato sexual.

Além disso, a camisinha protege de outras doenças sexualmente transmissíveis (DST), hepatite e sífilis. Use camisinha sempre e esteja atento a todas as dicas!

Como diagnosticar HIV?

A única forma de saber se uma pessoa possui o vírus é através de exame de sangue, por meio de um teste rápido anti-HIV, sendo que os exames podem ser feitos, inclusive, de forma anônima.

Existem centros de testagem e aconselhamento em que, além da coleta e da execução dos testes, há um processo de aconselhamento, antes e depois do teste, para facilitar a correta interpretação do resultado pelo paciente.

Como tratar um paciente de HIV?

O tratamento é feito a partir de medicamentos antirretrovirais. São esses produtos que vão agir no sistema imunológico da pessoa para bloquear as fases de multiplicação do vírus. É gratuito e está disponível nas principais unidades de saúde do país.

Saber do contágio pelo HIV precocemente aumenta a expectativa de vida do indivíduo soropositivo. Quem busca tratamento especializado no tempo certo e segue as recomendações do médico ganha em qualidade de vida.

Além disso, as mães soropositivas têm 99% de chance de terem filhos sem o HIV se seguirem o tratamento recomendado durante o pré-natal, parto e pós-parto.

Quais são os principais mitos sobre o HIV/AIDS?

Ainda existem alguns mitos relacionados à transmissão do vírus, especialmente no que diz respeito à relação a dois e no convívio cotidiano com outras pessoas. Veja as práticas que não oferecem riscos:

  •     relações sexuais protegidas com o uso do preservativo sendo feito de forma correta;
  •     beijo no rosto e na boca;
  •     suor e lágrimas;
  •     aperto e de mão e abraços;
  •     compartilhamento de roupas, copos e talheres;
  •     assento de ônibus;
  •     uso de piscina;
  •     uso de banheiros;
  •     ar; entre outros.

Até a década de 1990, a pessoa que contraía o vírus podia ser levada à morte em um curto período. Porém, hoje em dia, com a combinação adequada de medicamentos, responsáveis por manter a carga viral no sangue baixa, é possível proporcionar o bem-estar, longevidade e qualidade de vida.

Qual o foco da campanha Dezembro Vermelho?

A campanha do Ministério da Saúde é direcionada ao público jovem, devido ao crescimento da contaminação dentro de uma faixa etária entre 25 a 39 anos, com predominância em pessoas do sexo masculino. 

O objetivo é conscientizar e reforçar a importância de se prevenir, bem como realizar a testagem e iniciar imediatamente o tratamento em caso de um diagnóstico positivo. A ideia é desmistificar a mortalidade da AIDS por transmissão do HIV e dizer que o diagnóstico precoce não mata, mas salva vidas. 

Muitas pessoas têm medo de receber o diagnóstico como sentença de morte e acabam não realizando o exame, preferindo o “benefício” da dúvida. Acontece que não é possível frear as ações do vírus se não houver um acompanhamento da sua evolução para uso adequado de medicamentos que sejam eficazes no controle da doença. 

Por isso, se você passou por uma situação de risco, como ter tido relações sexuais de forma desprotegida ou compartilhou seringas, e, se está grávida, não tenha medo e faça o exame de HIV para assegurar sua qualidade de vida!

Gostou do post? Aproveitando nosso post sobre prevenção continue no blog para saber como funciona o método de barreira, eficaz tanto para evitar uma gravidez indesejada quanto algumas doenças sexualmente transmissíveis!

Referências:

AGÊNCIA BRASIL. Ministério da Saúde: 135 mil convivem com HIV no país e não sabem. 2019. Disponível em: <https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2019-11/ministerio-da-saude-135-mil-convivem-com-hiv-no-pais-e-nao-sabem>. Acesso em: 09 Dez. 2021

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA INTERDISCIPLINAR DE AIDS. ABIA esclarece dúvidas sobre a transmissão do HIV. 2016. Disponível em: <https://abiaids.org.br/em-nota-abia-esclarece-duvidas-sobre-transmissao-do-hiv/29054>. Acesso em: 09 Dez. 2021

MINISTÉRIO DA SAÚDE. HIV e aids. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/hiv-e-aids/>. Acesso em: 09 Dez. 2021

MINISTÉRIO DA SAÚDE. O que é HIV. Disponível em: <http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/o-que-e-hiv>. Acesso em: 09 Dez. 2021

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Informações básicas. Disponível em: <https://unaids.org.br/informacoes-basicas/>. Acesso em: 09 Dez. 2021

SECRETARIA DA SAÚDE DO GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ. HIV/ Aids. 2019. Disponível em: <https://www.saude.pr.gov.br/Pagina/HIVAids>. Acesso em: 09 Dez. 2021

SECRETARIA DE SAÚDE DE SAÚDE DE MINAS GERAIS. AIDS 2021. 2021. Disponível em: <https://www.saude.mg.gov.br/aids>. Acesso em: 09 Dez. 2021

SECRETARIA DE SAÚDE DO GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ. HIV/ Aids é simples de prevenir: usando camisinha. 2019. Disponível em: <https://www.saude.ce.gov.br/2019/12/11/hiv-aids-e-simples-de-prevenir-usando-camisinha/>. Acesso em: 09 Dez. 2021

SECRETARIA DE SAÚDE DO GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ. Especialista esclarece mitos e estigmas do HIV. 2020. Disponível em: <https://www.saude.ce.gov.br/2020/01/29/especialista-esclarece-mitos-e-estigmas-do-hiv/>. Acesso em: 09 Dez. 2021

Postagens Relacionadas

Médico do Hospital Márcio Cunha alerta sobre a privação do sono que pode levar a distúrbios como depressão, insônia e apneia. O sono adequado…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo