Linfomas: atenção aos sinais pode ajudar no diagnóstico precoce

Risco para o desenvolvimento da doença aumenta com a idade

Os linfomas são um grupo de cânceres que afetam o sistema linfático, parte fundamental do sistema imunológico. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), cerca de 12 mil novos casos devem ser diagnosticados somente no Brasil até o fim do ano de 2023.

Sintomas como inchaço persistente dos gânglios linfáticos, febre inexplicável, sudorese noturna e perda de peso não intencional, pode levar a um diagnóstico mais cedo, aumentando as chances de tratamento bem-sucedido.

A educação sobre fatores de risco como infecções virais e exposição a produtos químicos, pode ajudar na prevenção de alguns tipos de linfomas.

É importante destacar que os linfomas podem ser divididos em dois principais grupos: Hodgkin e não Hodgkin.

O Linfoma ou Doença de Hodgkin

Linfoma ou Doença de Hodgkin é um tipo de câncer que se origina no sistema linfático, conjunto composto por órgãos (linfonodos ou gânglios) e tecidos que produzem as células responsáveis pela imunidade e vasos que conduzem essas células através do corpo.

O linfoma de Hodgkin tem a característica de se espalhar de forma ordenada, de um grupo de linfonodos para outro grupo, por meio dos vasos linfáticos. A doença surge quando um linfócito (célula de defesa do corpo), mais frequentemente um do tipo B, se transforma em uma célula maligna, capaz de multiplicar-se descontroladamente e disseminar-se. A célula maligna começa a produzir, nos linfonodos, cópias idênticas, também chamadas de clones. Com o passar do tempo, essas células malignas podem se disseminar para tecidos próximos, e se não tratadas, podem atingir outras partes do corpo. A doença origina-se com maior frequência na região do pescoço e na região do tórax denominada mediastino.

Linfoma não Hodgkin

O linfoma não Hodgkin (LNH) é um tipo de câncer que tem origem nas células do sistema linfático e que se espalha de maneira não ordenada. Existem mais de 20 tipos diferentes de linfoma não-Hodgkin.

O sistema linfático faz parte do sistema imunológico, que ajuda o corpo a combater doenças. Como o tecido linfático é encontrado em todo o corpo, o linfoma pode começar em qualquer lugar. Pode ocorrer em crianças, adolescentes e adultos. De modo geral, o LNH torna-se mais comum à medida que as pessoas envelhecem.

Recomendações

– Evite a exposição prolongada a produtos químicos, em especial a produtos agrícolas;

– Pacientes infectados com o vírus HTLV e o vírus HIV correm risco maior de desenvolver linfoma, portanto devem estar mais atentos aos sintomas;

– Faça um autoexame frequentemente. Quanto mais você conhecer o próprio corpo, mais depressa identificará possíveis alterações físicas;

– A incidência de linfoma aumenta com a idade, por isso os idosos, principalmente os de ascendência europeia, devem redobrar a atenção;

– Procure um médico se notar a presença de uma íngua (gânglio aumentado) no pescoço, axila, virilha, especialmente se ela não for dolorosa, tiver crescimento rápido e você não apresentar nenhum outro sinal de infecção (como febre e mal-estar);

– A quimioterapia para linfoma pode afetar a produção de óvulos e espermatozoides. Se você deseja ter filhos, leve esse dado em conta e considere métodos de preservação de sêmen e de óvulos.

Fique em dia com a sua saúde: a Usisaúde oferece diversos planos médicos com foco na prevenção e no diagnóstico precoce para cuidar do seu bem-estar. Conheça os nossos serviços e aproveite cada benefício disponível para você e sua família!

Postagens Relacionadas

O dia 21 de junho marca o início do inverno, no Brasil, e é também quando se celebra o Dia Nacional de Controle da…
Condição crônica atinge população mais jovem devido a estilo de vida pouco saudável A hipertensão arterial, popularmente conhecida como pressão alta, é uma condição…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo