Meu filho ronca e eu não sei o que fazer! Saiba mais sobre o ronco infantil

Quando falamos sobre o ronco, logo nos vem à mente a imagem de um adulto ou de um idoso. Porém, não são raros os casos de crianças que sofrem desse distúrbio do sono.

Principais causas do ronco entre crianças

Vários fatores podem contribuir para o desenvolvimento do ronco infantil. Entre eles, destacam-se a hipertrofia (aumento exagerado) das amígdalas, quadros graves de adenoide, desvio de septo (má formação do canal interno do nariz) e alergias.

Ao mesmo tempo, quando a criança chupa o dedo ou usa chupeta por um período mais longo que o habitual, a arcada dentária fica sujeita a deformações, o que também pode ocasionar o ronco.

Sintomas do ronco infantil

É importante que os pais observem os hábitos de sono de seus filhos. Se a criança apresenta uma respiração “pesada” enquanto dorme, é provável que ela não esteja descansando da maneira mais adequada.

Diferentemente do que muitas pessoas acreditam, o ronco é comum e natural entre as crianças, principalmente quando elas estão mais cansadas. Porém, se o ronco se torna muito frequente, aconselha-se que um especialista seja consultado.

Riscos e consequências do ronco infantil

O ronco é um indicativo de baixa qualidade de sono. Portanto, ele pode causar queda no rendimento escolar da criança, comprometendo o desenvolvimento, uma vez que a absorção de informações e os processos cognitivos ficam prejudicados.

Para alguns otorrinolaringologistas, o ronco também pode desencadear mudanças bruscas de comportamento, como alterações repentinas de humor e agressividade.

Desmistificando a opinião comum de que o ronco sinaliza um sono profundo e reparador, a verdade é que esse distúrbio revela dificuldades para respirar enquanto o indivíduo está dormindo, de forma que o descanso fica comprometido.

Consequentemente, a retenção de informações aprendidas ao longo do dia também sofre prejuízos.

Variações de humor, irritabilidade, hiperatividade, cansaço sem motivo aparente, problemas na formação e na consolidação da arcada dentária, e, até mesmo, do crânio e da face também podem ter o ronco como causa. Finalmente, a obesidade infantil é outra consequência da baixa qualidade do sono, já que, por vezes, a criança come em excesso em uma tentativa inconsciente de buscar outras fontes de energia para compensar a energia que não foi recuperada durante o sono.

Como tratar o ronco infantil?

Se os pais observarem um ou mais sintomas causados pelo ronco em seus filhos, o primeiro passo é procurar um pediatra ou um otorrinolaringologista. Posteriormente, o tratamento pode contar com a participação de outros especialistas, como dentistas e fonoaudiólogos.

O exame nasolaringofibroscopia (câmera introduzida pelo nariz para identificar as origens do ronco) pode ser solicitado pelo médico para auxílio no diagnóstico. Esse exame é eficaz e não provoca dor.

Normalmente, o tratamento é iniciado pela investigação e correção da adenoide, dos problemas nas amígdalas e da obesidade. Posteriormente, tratam-se as alergias e indica-se a boa alimentação e a prática de atividades físicas, como a natação.

Postagens Relacionadas

O dia 21 de junho marca o início do inverno, no Brasil, e é também quando se celebra o Dia Nacional de Controle da…
Condição crônica atinge população mais jovem devido a estilo de vida pouco saudável A hipertensão arterial, popularmente conhecida como pressão alta, é uma condição…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo