Obesidade, sedentarismo e alcoolismo são fatores de risco em comuns para hipertensão, diabetes e outras doenças cardiovasculares

Dia Mundial da Hipertensão Arterial reforça a importância dos hábitos preventivos para a saúde vascular

As doenças cardiovasculares (DCV) estão entre os problemas crônicos que mais afetam a população mundial e preocupam todo o campo da medicina. Enfermidades como diabetes mellitus e hipertensão arterial são consideradas silenciosas, por serem diagnosticadas em sua fase mais aguda, na maior parte dos casos. Sua incidência tem aumentado ao longo do tempo, principalmente em função de fatores comportamentais da vida moderna, como obesidade, sedentarismo, alcoolismo e má alimentação.

Celebrado em 17 de maio, o Dia Mundial da Hipertensão Arterial reforça a importância dos hábitos de prevenção e controle da enfermidade, além dos demais tipos de DCV. Também conhecida como pressão alta, ela é a doença mais prevalente na população brasileira, além da principal causa de mortes no país. Segundo o Ministério da Saúde, mais de 300 mil óbitos são registrados por ano em função da hipertensão arterial.

Em relação ao diabetes, o Brasil tem mais de 15,7 milhões de pessoas diagnosticadas, ocupando o 6º lugar no ranking de incidência, segundo o Atlas do Diabetes 2022, divulgado pela Federação Internacional do Diabetes. Em todo o mundo, são mais de 537 milhões de diabéticos. Assim como as outras DCV, o diabetes pode ocorrer por diversos fatores, incluindo genéticos e comportamentais. O grande desafio está em adotar um estilo de vida saudável, o principal aliado no tratamento, controle e prevenção dessas enfermidades.

 

Saúde vascular

Os cuidados preventivos contra doenças como o diabetes e a hipertensão arterial favorecem a saúde vascular como um todo. Esse é um hábito fundamental, já que o coração e o sistema circulatório são responsáveis pela circulação do sangue, distribuição de nutrientes e oxigênio para todo o organismo. Hábitos inadequados como sedentarismo, má alimentação e tabagismo podem comprometer essas funções, causando uma série de riscos, desde quadros de obesidade e colesterol elevado até o diagnóstico de uma DCV.

A hipertensão arterial ataca os vasos sanguíneos do coração, cérebro, olhos e pode causar paralisação dos rins. Isso ocorre quando a medida da pressão se mantém frequentemente acima de 140 por 90 mmHg. Normalmente a doença não apresenta sintomas, porém, quando a pressão arterial sobe muito, o paciente pode sentir dores no peito e na cabeça, tonturas, zumbido no ouvido, visão turva e sangramento nasal.

Já o diabetes é uma doença metabólica, na qual o corpo não produz insulina ou não consegue utilizar adequadamente a insulina que produz. O Diabetes tipo 1 faz com que o sistema imunológico ataque equivocadamente as células beta e, como resultado, a glicose fica no sangue e não é usada como energia. Já o Tipo 2, que atinge 90% das pessoas, aparece quando o organismo não consegue usar adequadamente a insulina que produz ou não produz insulina suficiente para controlar a taxa de glicemia.

 

Riscos associados e prevenção

Para quem possui hipertensão e diabetes, o risco à saúde é mais elevado. Dados do Ministério da Saúde apontam que 30% dos brasileiros com mais de 60 anos sofrem das duas enfermidades, que são as principais causas de quadros de acidente vascular cerebral (AVC) e infarto no Brasil. Além disso, o paciente pode evoluir para complicações graves, como amputações, perda de visão, insuficiência renal e até a morte, exigindo acompanhamento médico constante.

A boa notícia é que a hipertensão também possui formas de prevenção em comum com as demais DCV. O melhor caminho é adotando hábitos saudáveis, como mudanças na rotina alimentar e a prática de atividade física regular. Tudo isso ajuda a prevenir e controlar a hipertensão e diversas outras doenças crônicas. Confira as dicas:

  • Controlar o peso corporal;
  • Evitar o excesso de sal nos alimentos;
  • Fazer atividade física regular;
  • Evitar o fumo e o abuso do álcool;
  • Evitar alimentos gordurosos e processados;
  • Priorizar alimentos naturais, como frutas, legumes, cereais e grãos integrais, ovos e carnes magras;
  • Consumir fontes de gorduras saudáveis, como peixes, sementes e azeites;
  • Acompanhamento médico frequente.

Apesar da maioria dos casos de hipertensão não ter possibilidade de cura, sempre há maneiras de controlar a enfermidade. Vale destacar que não necessariamente o tratamento é feito com uso de medicamentos – o mais importante é manter um estilo de vida saudável e contar com um acompanhamento médico regular e multidisciplinar para garantir o controle da hipertensão e das demais DCV.

Fique em dia com a sua saúde: a Usisaúde oferece diversos planos médicos com foco na prevenção e no diagnóstico precoce para cuidar do seu bem-estar. Confira os nossos serviços e conheça cada benefício disponível para você e sua família!

Postagens Relacionadas

O dia 21 de junho marca o início do inverno, no Brasil, e é também quando se celebra o Dia Nacional de Controle da…
Condição crônica atinge população mais jovem devido a estilo de vida pouco saudável A hipertensão arterial, popularmente conhecida como pressão alta, é uma condição…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo