Outono aumenta risco de crises alérgicas em pessoas com doenças respiratórias

Chegada do tempo frio e seco afeta crianças, idosos e pessoas com asma e rinite. Entenda as causas e saiba como se prevenir

O início do outono é um momento de cuidados redobrados com a saúde para muitas pessoas. Nessa época do ano, crianças, idosos e portadores de doenças respiratórias sofrem de quadros alérgicos com mais frequência, devido ao tempo frio e seco. Dados de 2022 da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI) revelam que cerca de 30% dos brasileiros têm alguma alergia respiratória. Esse é um problema que debilita a qualidade de vida do paciente, trazendo sintomas incômodos como coriza, congestão nasal, tosse seca, chiado, falta de ar, entre outros.

O alerta para as pessoas com doenças respiratórias é ainda maior nesse período do ano. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a rinite alérgica afeta de 30% a 40% da população global. A entidade também classifica a asma como um grande problema de saúde no mundo, condição confirmada pela estimativa do Ministério da Saúde sobre o número de asmáticos no Brasil: atualmente em mais de 20 milhões.

O cenário exige alguns cuidados de prevenção contra as alergias respiratórias, uma vez que o tempo seco faz com que os agentes alérgenos e fatores irritativos suspensos no ar se tornem mais evidentes. A umidade alta consegue retirar essas partículas do ambiente, enquanto o período seco faz com que elas se difundam com facilidade. Dessa forma, os quadros alérgicos acabam surgindo com mais frequência nessa época do ano.

Prevenção no dia a dia

Manter a higiene, a casa limpa e os ambientes arejados são os principais cuidados para se prevenir contra as alergias respiratórias. Além disso, evitar locais e objetos que acumulem muito resíduo, como sofás peludos, cortinas e tapetes, é indispensável.

Umidificar o ambiente também uma ótima opção, seja com umidificadores ou mantendo uma vasilha de água nos quartos e cômodos, reduzindo a chance dos agentes alérgenos se proliferarem com mais facilidade. Lavar o nariz regularmente com soluções salinas também é útil para evitar e reduzir sintomas de crises alérgicas, aprimorando a qualidade de vida do paciente.

Uma consulta com um especialista também é válida para quem costuma ter crises alérgicas frequentes e duradouras no outono e no inverno. Assim, é possível estudar as causas, obter o diagnóstico adequado e, quando necessário, iniciar um tratamento profilático, visando evitar novas crises. Os procedimentos normalmente incluem abordagens medicamentosas ou imunoterápicas, com vacinas contra agentes alérgenos.

Alergias X Gripes

Gripes e resfriados podem apresentar sintomas parecidos e gerar confusão sobre qual o quadro correto. Em geral, as alergias não costumam apresentar febre e dores no corpo, mas em caso de dúvidas busque orientação médica.

Outra boa forma de distinguir os dois problemas é observar a duração dos sintomas. Os quadros gripais costumam durar de cinco a sete dias, enquanto as crises alérgicas podem persistir, se a exposição aos agentes irritativos não for resolvida.

O mais importante é manter os cuidados básicos do dia a dia e, se houver sintomas mais intensos, procurar o atendimento médico para o tratamento adequado.

Para ficar em dia com a sua saúde no outono e durante todo o ano, confira os planos da Usisaúde e conheça

Postagens Relacionadas

Especialista da FSFX reforça a importância de exames regulares para diagnosticar doença silenciosa Celebrado no dia 26 de maio, o Dia Nacional de Combate…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo