Outubro Rosa: mês de combate ao câncer de mama

Desde 1990, quando surgiu em Nova York, o Outubro Rosa se popularizou em todo o mundo como um movimento que tem o objetivo de chamar a atenção para o combate ao câncer de mama. Foi a Fundação Susan G. Komen for the Cure que deu início a essa iniciativa ao distribuir laços cor de rosa aos participantes da primeira corrida pela cura, evento esportivo que passou a fazer parte do calendário anual da cidade de Nova York.

Atualmente, durante o mês de outubro, muitos espaços públicos e privados são iluminados ou cobertos pela cor rosa de modo a alertar a população sobre a importância da prevenção e do tratamento da doença. Afinal, o câncer de mama é o mais frequente entre as mulheres, principalmente para a faixa etária superior aos 50 anos.

Prevenção contra o câncer de mama

Uma alimentação saudável combinada à prática de exercícios físicos pode reduzir o risco do surgimento do câncer de mama. Evitar o consumo de bebidas alcoólicas e manter o peso sob controle também são fatores que protegem a mulher.

O câncer de mama, se descoberto precocemente, tem mais de 95% de chance de cura. No entanto, o autoexame, sozinho, não descarta a possibilidade da doença. É preciso realizar, com orientação médica, o exame de mamografia, que detecta nódulos e tumores muito pequenos, ainda imperceptíveis ao tato.

O autoexame

Pelo menos uma vez por mês, a mulher deve realizar o autoexame das mamas, preferencialmente até uma semana após o término da menstruação. Para aquelas que já passaram da menopausa, deve-se definir uma data específica, de modo que a periodicidade não exceda os 30 dias.

Para realizar o autoexame, a mulher deve passar a mão espalmada em torno de cada um dos seios, seguindo movimentos circulares e aplicando uma leve pressão. Para facilitar, o braço oposto pode ficar levantado.

É necessário apalpar todo o seio, desde o encontro com o pescoço até a região das axilas. Para facilitar, pode ser utilizado um creme hidratante ou até mesmo sabonete para que as mãos deslizem facilmente.

Durante o autoexame, é importante ficar atento quanto a algumas possíveis anomalias, como:

  • alterações no tamanho e no formato dos seios;
  • mudanças na textura da pele;
  • vazamento de algum fluido pelos mamilos;
  • mudança do formato do mamilo quando é tocado;
  • erupções na pele ou vermelhidão em torno do mamilo;
  • espessamento do tecido mamário ou formação de caroço(s) ao longo do seio;
  • dores ou inchaços nas axilas, próximo à clavícula ou no próprio seio.

Não se deve esquecer que o autoexame não elimina a necessidade de consultar o seu médico regularmente.

 A importância da mamografia

Recomendada pelo Ministério da Saúde, a mamografia é um exame radiológico que tem como objetivo detectar possíveis lesões que podem vir a desenvolver o câncer de mama. Para saber mais, clique aqui.

Engaje-se no Outubro Rosa e ajude a reduzir os casos de câncer de mama

Ainda que nunca tenha havido um caso de câncer de mama em sua família, você já teve ter ouvido falar de alguém que sofreu com a doença. Oriente familiares, amigas, colegas de trabalho (ou de faculdade) e vizinhas a se prevenirem contra essa grave doença!

Postagens Relacionadas

Médico do Hospital Márcio Cunha alerta sobre a privação do sono que pode levar a distúrbios como depressão, insônia e apneia. O sono adequado…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo