Sarampo: Conheça os sintomas e saiba como se prevenir

Tempo de leitura: 7 minutos 

O sarampo é uma doença grave, altamente contagiosa, que atinge principalmente os menores de 5 anos, e mais gravemente nas crianças desnutridas, pessoas com insuficiência de vitamina A ou imunidade baixa. O aumento recente dos casos no Brasil acende o alerta sobre a necessidade de a população ser vacinada nos postos de saúde. 

A doença pode comprometer todo o sistema imunológico e deixar o organismo vulnerável ao surgimento de outras infecções.

Neste post trazemos as principais informações sobre o sarampo que pode, inclusive, ser fatal. Continue lendo e acompanhe todas as informações para proteger a você e sua família!

O que é o sarampo?

É uma doença infectocontagiosa causada por um tipo de vírus chamado morbillivirus. Altamente contagioso, o sarampo é transmitido por meio das secreções do nariz e da boca, expelidas ao respirar ou falar ou tossir e de indivíduos doentes para pessoas não imunizadas. Por isso é tão importante as campanhas de vacinação, pois para que seja possível interromper a transmissão do sarampo é preciso que 95% da população esteja vacinada.

No entanto, nos últimos dois anos, o número de pessoas que sofrem dessa doença aumentou significativamente no Brasil.

Qual a situação do sarampo no Brasil?

Em 2016, o Brasil e as Américas foram reconhecidos pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) como área livre do sarampo. Infelizmente, devido à queda nas coberturas vacinais, o contato de pessoas que contraíram a doença no exterior com brasileiros não vacinados levou à ocorrência, a partir de 2018, de surtos sustentados de grandes proporções — especialmente no Amazonas, Roraima e São Paulo. Com isso, o país deixou de atender aos requisitos necessários para manter o certificado de eliminação. Por isso é importantíssimo manter uma boa cobertura vacinal para que a transmissão seja novamente zerada no país. 

Quais são os principais sintomas do sarampo?

O período de incubação do vírus causador do sarampo varia entre oito e treze dias. Após esse tempo, os primeiros sintomas começam a surgir. Inicialmente, aparecem pequenas erupções cutâneas de cor avermelhada.

Em seguida, há a ocorrência de febre alta, mal-estar e inflamação das vias respiratórias, que passam a produzir grande quantidade de muco. Pode ocorrer também conjuntivite. 

Não há tratamento específico para a doença, mas a melhor forma de prevenir a doença é por meio da vacinação.

A vacinação é essencial para erradicação do sarampo

Como o sarampo vem se espalhando por vários países das Américas (Venezuela, Brasil, Estados Unidos, Canadá, México, Peru, Colômbia, Guatemala e Antígua e Barbuda), a Organização Pan-americana da Saúde adverte que é necessário redobrar os esforços para a vacinação das populações das nações americanas.

Embora tenham se visto livres do sarampo em 2016, as Américas voltaram a registrar casos da doença justamente pela diminuição dos índices de vacinação. Portanto, é imprescindível que as pessoas estejam atentas e vacinem (a si e a seus filhos) dentro dos cronogramas estabelecidos pelos órgãos competentes.

Saiba mais sobre a vacina e como se proteger

A vacina utilizada para prevenir o sarampo é a tríplice viral, que também protege contra a rubéola e a caxumba. Ela é oferecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e deve ter a primeira dose administrada aos 12 meses de idade, com reforço aos 15 meses – nesse momento, é adicionada a proteção contra catapora (tetraviral).

Caso haja atraso na vacinação, crianças de até quatro anos de idade ainda poderão receber a vacina com o componente varicela. A partir de cinco até os 29 anos de idade, deverão ser administradas duas doses da vacina tríplice viral. Pessoas de 30 a 49 anos de idade devem receber uma dose.

Entre uma dose e outra da vacina, deve-se fazer um intervalo de, pelo menos, um mês. Não se pode tomar a tríplice viral e a vacina contra febre amarela no mesmo dia. Nesse caso, também é necessário fazer um intervalo mínimo de 30 dias. No caso das gestantes, elas devem aguardar para serem vacinadas após o parto. Quem está planejando engravidar, deve primeiramente colocar a vacinação em dia e aguardar pelo menos um mês após a última dose.

Quais são as complicações do sarampo?

Como dissemos, o sarampo é grave e pode deixar sequelas por uma vida inteira ou levar à morte. A vacina é a única alternativa para proteger o indivíduo de ser acometido e sofrer consequências tão fortes. Veja as principais complicações da doença!

Crianças

  • Pneumonia – 1 em cada 20 crianças com sarampo pode desenvolver pneumonia, uma causa comum de morte pela doença em crianças pequenas;
  • Otite média aguda – infecção de ouvido que ocorre em cerca de 1 a cada 10 crianças com sarampo, podendo ocasionar a perda auditiva permanente;
  • Encefalite aguda – 1 em cada 1.000 crianças podem desenvolver essa condição podendo o risco de morte chegar a 10%;
  • Morte – entre 1 e 3 crianças a cada 1.000 podem morrer devido às complicações impostas pelo sarampo.

Adultos

  • Pneumonia.

Gestantes

  • Mulheres em idade fértil, entre 10 e 49 anos não vacinadas antes da gravidez podem apresentar parto prematuro e o bebê pode nascer abaixo do peso.

É importante se vacinar antes da gestação, pois a vacina é contraindicada durante o período gestacional. 

Por fim, assim como diversas doenças causadas por vírus, o sarampo pode ser evitado, bem como suas complicações. A prevenção é o caminho certo para quem deseja ter uma vida saudável e longa, por isso, a vacinação é tão importante e não pode ser deixada de lado. 

Se este post foi útil para você, que tal aproveitar a visita em nosso blog e saber mais sobre o dia nacional da imunização e a importância de manter a vacinação em dia!

Referências:

AGÊNCIA BRASIL. Sarampo: entenda os sintomas, riscos e tratamento. 2019. Disponível em: <https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2019-08/sarampo-entenda-os-sintomas-riscos-e-tratamento>. Acesso em: 18 Out. 2021

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Sarampo: sintomas, transmissão e prevenção. 2018. Disponível em: <https://www.bio.fiocruz.br/index.php/br/sarampo-sintomas-transmissao-e-prevencao>. Acesso em: 18 Out. 2021

DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DE SANTA CATARINA. Sarampo. Disponível em: <http://www.dive.sc.gov.br/sarampo/index.html>. Acesso em: 18 Out. 2021

MÉDICOS SEM FRONTEIRA. Sarampo. Disponível em: <https://www.msf.org.br/o-que-fazemos/atividades-medicas/sarampo>. Acesso em: 18 Out. 2021

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Sarampo: sintomas, prevenção, causas, complicações e tratamento. Disponível em: <https://antigo.saude.gov.br/saude-de-a-z/sarampo>. Acesso em: 18 Out. 2021

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DE SAÚDE. Sarampo. Disponível em: <https://www.paho.org/pt/topicos/sarampo>. Acesso em: 18 Out. 2021

SECRETARIA DE SAÚDE DO GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA. Sarampo. Disponível em: <http://www.saude.ba.gov.br/temasdesaude/sarampo/>. Acesso em: 18 Out. 2021

SECRETARIA DE SAÚDE DO GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ Sarampo. Disponível em: <https://www.saude.pr.gov.br/Pagina/Sarampo>. Acesso em: 18 Out. 2021

Postagens Relacionadas

A Fundação São Francisco Xavier estará presente em mais uma edição da tradicional feira de negócios do Vale do Aço, a Expo Usipa, que…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo