Entenda sobre a sexualidade na terceira idade

Conteúdo atualizado em: 24/03/2022

Tempo de leitura: 6 minutos.  

A sexualidade na terceira idade pode ser um tema tabu, mas que precisa ser abordado, considerando que, cada vez mais, os idosos estão aproveitando a longevidade. Se manter ativo sexualmente impacta na autoestima e estimula a independência do idoso. 

Muitas vezes, considerando até mesmo a saúde física, a sexualidade pode aflorar de um jeito diferente, mas não menos significativo, respeitando os limites do corpo e da mente. O objetivo deste post é falar sobre a sexualidade na terceira idade e o quanto pode ser positiva, natural e saudável. Continue lendo e veja os aspectos que envolvem o assunto e quais os cuidados os idosos devem ter com a saúde!

Como é a vida sexual na terceira idade?

Falar da sexualidade na vida de pessoas idosas parece um assunto proibido, repleto de  restrições e limites. No entanto, com os avanços da medicina e cuidados com a própria saúde, cada vez mais, as pessoas estão atingindo a terceira idade cheias de saúde e energia. 

Embora as limitações do corpo, mudanças na aparência e a autocrítica possam ser consideradas barreiras para uma vida sexual ativa, é preciso entender que as transformações fazem parte do processo de envelhecimento e resgatar a autoconfiança na busca pelo prazer.

A sexualidade pode ser explorada e vivenciada das mais diversas maneiras, e é muito importante descobrir e redescobrir formas que dão sentido à vida e fazem com que se sintam plenos, independente da idade. Sempre há tempo para novas experiências, pois a intimidade, o afeto e o amor são fundamentais para a vida!

Qual a melhor forma de lidar com a sexualidade do idoso?

Algumas pessoas ainda têm dificuldades de admitir que os idosos podem ter uma vida sexual ativa e, ao invés de normalizar, acabam demonstrando preconceito. É fundamental que na vida madura, essas pessoas não seja impedidas de viver o amor e fazer sexo. 

É importante atentar para o fato de que na terceira idade podem surgir a impotência para o homem e o ressecamento vaginal para as mulheres. Tanto homens quanto mulheres podem precisar de estímulos, mas devem evitar o uso de medicamentos ou produtos sem a devida orientação médica.

Com tratamento e acompanhamento adequados, pessoas que já passaram da idade de ter ereção e lubrificação de forma natural, podem ainda sentir prazer em uma relação que respeite os limites impostos pelo envelhecimento, afinal, sexo também é carinho e carícias na medida certa. 

O sexo traz benefícios para a saúde mental e física, além da melhora da autoestima. Com os devidos cuidados, aceitação e apoio, o idoso pode se tornar mais feliz e apaixonado.

Quais são os cuidados para evitar as doenças sexualmente transmissíveis?

Assim como é para quem é mais jovem, a sexualidade na terceira idade também exige cuidados e prevenção das doenças sexualmente transmissíveis. O fato de ter envelhecido não elimina alguém do grupo de risco de contaminação de doenças como AIDS, por exemplo. 

De modo geral, os idosos já fazem visitas regulares à equipe de saúde, para garantir um envelhecimento saudável, dentro das condições permitidas pela idade. Mas vale ampliar a rede de apoio e incluir especialidades para realização de exames preventivos e buscar por orientações e cuidados específicos. 

Com acolhimento, acompanhamento contínuo e apoio adequado, a sexualidade na terceira idade deixa de ser um problema e passa a ser um bem que todo idoso deveria experimentar nessa fase da vida. Quanto mais felizes e proativos, maior a tendência de serem cheios de energia e saudáveis! 

Se você gostou deste post e deseja aprofundar no assunto, aproveite a visita e veja também sobre a terceira idade e como a família e o convívio social são importantes para o idoso

Referências:

QUEIROZ, M. A. C. et al. Representações sociais da sexualidade entre idosos. Rev. Bras. Enferm., v.68, n.4, p.662-667, 2015. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/reben/a/MvvLGd3FbWw5npcZhXjwWMH/?lang=pt>. Acesso em 16 Mar. 2022.

VIEIRA, K. F. L.; COUTINHO, M. P. L.; SARAIVA, E. R. A. A sexualidade na velhice: Representações sociais de idosos frequentadores de um grupo de convivência. Psicol., Ciênc. Prof, v.36. n.1, p.196 – 2019, 2016. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/pcp/a/dtF8qQ6skTwWk4jK5ySG7Gq/?lang=pt&format=html#>. Acesso em 16 Mar. 2022. 

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. 2019. Sexualidade na terceira idade. 2019. Disponível em: <https://www.saude.rj.gov.br/atividade-na-terceira-idade/noticias/2019/03/sexualidade-na-terceira-idade>. Acesso em: 16 Mar. 2022. 

NASCIMENTO, E. K. S.; VELOSO, L. U. P. O conhecimento sobre sexualidade na terceira idade: Uma proposta de intervenção. UNA-SUS, 2020. Disponível em: <https://ares.unasus.gov.br/acervo/html/ARES/18628/1/ELLANE%20KARLA%20SIPAUBA%20NASCIMENTO4.pdf>. Acesso em: 16 Mar. 2022.

ROZENDO, A.S.; ALVES, J. M. . Sexualidade na terceira idade: Tabus e realidade. Revista Kairós Gerontologia, v.18, n.3, p. 95-107, 2015. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/26210/18869>. Acesso em 16 Mar. 2022.

UCHÔA, Y. S.et al. A sexualidade sob o olhar da pessoa idosa. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, 2016; v.19, n.6, p.939-949. Disponível em: <https://www.scielo.br/j/rbgg/a/7dtmjLMf3c4bHR8bgcQDFXg/?format=pdf&lang=pt>. Acesso em 16 Mar. 2022. 

Postagens Relacionadas

Prática de fumar causa danos para quem fuma e quem convive com fumantes A OMS considera o tabagismo um fator de risco evitável, uma…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo