Teste da linguinha

O teste da linguinha nada mais é do que um exame para detectar se o recém-nascido possui a língua presa. Ele passou a ser obrigatório em todos os hospitais e maternidades do Brasil a partir da publicação da Lei nº 13.002, de 2014, e tem como finalidade detectar se há alteração no frênulo, que é a membrana que liga a língua à parte inferior da boca. O teste permite a detecção e o tratamento precoce da anomalia, que pode comprometer funções básicas do nosso corpo como sugar, engolir, mastigar e falar.

O teste, que deverá ser feito por pediatras nos primeiros minutos de vida do bebê, é simples e indolor. O médico segue o Protocolo de Avaliação do Frênulo Lingual, que observa se há alterações na boca ou língua da criança. A realização deste procedimento em recém-nascidos é importante porque evita o desmame precoce, uma vez que a Organização Mundial da Saúde (OMS) determina que a criança deve ser amamentada até os seis meses de idade para garantir um desenvolvimento saudável.

Caso seja detectada a anquiloglossia – nome científico da língua presa -, é recomentado um procedimento cirúrgico chamado “frenotomia” para corrigir o problema. A intervenção é rápida e simples e deverá ser realizada por um médico ou profissional devidamente capacitado.

A detecção precoce da doença é importante não só para solucionar problemas como dificuldades de sucção e deglutição nos recém-nascidos como também para evitar que as crianças enfrentem problemas futuros. As crianças com língua presa estão mais suscetíveis a sofrerem bullying durante o período escolar, diminuindo o desempenho e afetando a autoestima. Quando se tornam adultas, essas pessoas enfrentarão dificuldades de ascensão profissional e social.

 

Postagens Relacionadas

Médico do Hospital Márcio Cunha alerta sobre a privação do sono que pode levar a distúrbios como depressão, insônia e apneia. O sono adequado…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo