Tudo o que você precisa saber sobre o glúten.

Muito se discute atualmente sobre o consumo de glúten e sua relação com a saúde e a dieta, principalmente de mulheres. Mas você já parou para pensar sobre quem pode e quem não pode consumir alimentos com glúten? Quais os benefícios e os malefícios desse nutriente? O glúten é uma proteína presente no trigo, no centeio, na cevada, aveia e nos seus derivados. Isto quer dizer que todo alimento feito à base de farinha proveniente destes cereais – como a farinha de trigo – contém glúten, como é o caso de pães, bolos, biscoitos,pizzas e etc.

Por estar presente em muitos alimentos do nosso cardápio cotidiano, o glúten é uma proteína muito comum na culinária ocidental, mesmo que seu consumo não seja percebido facilmente, como por exemplo, na cerveja. Este fato é importante para compreendermos como ocorrem as doenças relacionadas ao glúten.

Existem três grupos de pessoas com alguma dificuldade em consumir esta proteína: os intolerantes, os alérgicos e os celíacos. Os intolerantes são indivíduos que após o consumo de alimentos ricos em glúten apresentam quadros de mal-estar, principalmente intestinal. É possível que a intolerância venha a ser desenvolvida pelo consumo de grandes quantidades de alimentos com glúten por um longo período de tempo.

Indivíduos alérgicos ao glúten, assim como nos casos de alergia a alimentos como o amendoim, podem apresentar sintomas respiratórios, digestivos ou cutâneos. Em casos extremos, o indivíduo corre o risco de sofrer um choque anafilático. É imprescindível que pessoas alérgicas tenham conhecimento sobre o assunto e evitem o consumo de qualquer alimento que contenha traços de glúten.

O terceiro grupo reúne os celíacos, que são as pessoas que, devido a questões genéticas, sofrem de inflamação crônica no intestino delgado quando consomem glúten. A doença celíaca é normalmente detectada na infância, embora possa ocorrer na fase adulta.

Na maioria dos casos, pacientes com qualquer tipo de rejeição ao glúten são orientados a substituir esses alimentos por outros à base de farinha de arroz, de milho, de mandioca, entre outros. No entanto, é importante ressaltar que para cada um destes grupos há maneiras distintas de tratar a doença, por isso, somente um profissional da saúde, após a realização de diversos exames, será capaz de avaliar o caso e orientar o paciente sobre as medidas a serem tomadas.

Postagens Relacionadas

O dia 21 de junho marca o início do inverno, no Brasil, e é também quando se celebra o Dia Nacional de Controle da…
Condição crônica atinge população mais jovem devido a estilo de vida pouco saudável A hipertensão arterial, popularmente conhecida como pressão alta, é uma condição…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo