A importância do acompanhamento de saúde regular na detecção de demência em idosos

Tempo de leitura: 5 minutos.

Demência em idosos é considerada uma síndrome. O paciente com demência ou um familiar, geralmente buscam ajuda por queixas de alterações cognitivas (alteração de memória, dificuldade de entender a comunicação escrita e falada, dificuldade de encontrar as palavras corretas para se expressar, não reconhecimento de acontecimentos comuns, desorientação).

Ela ocorre na forma de três tipos: primária, secundária e associada a outras enfermidades, e cada uma delas requer um tipo de tratamento específico. O primeiro passo é saber se há uma incapacidade cognitiva anormal e então pesquisar as possíveis causas. 

Neste material, explicamos sobre as causas, prevenção e importância do acompanhamento médico. Confira!

Quais as causas da demência em idosos?

A demência em idosos pode ter diversas origens. Quando ocorre, existe a necessidade de avaliar o histórico do paciente, pois alguns casos são reversíveis enquanto outros não são. O acompanhamento permite identificar como o problema refletirá de forma direta no estado atual do paciente, em seu tratamento e sua qualidade de vida. 

A principal causa de demência atualmente é o tipo devido à Doença de Alzheimer, além de outras condições, tais como o uso prolongado de medicamentos, quadros de depressão, hipotireoidismo, doenças infecciosas, doenças vasculares do sistema nervoso central, deficiência de vitamina B12, sífilis, HIV, doenças degenerativas, entre outras.

Como deve ser a prevenção da demência?

A melhor forma de prevenir a demência é estimular um estilo de vida saudável para os idosos. Isso envolve o bem estar físico, mental e social, associado aos cuidados médicos necessários.

Abaixo, reunimos algumas práticas que contribuem com a qualidade de vida do idoso, e auxiliam a prevenir a demência.

Estimular o cérebro

Sempre auxilie o idoso a estimular o cérebro aprendendo algo novo. Ofereça livros para leitura, traga desafios mentais ou jogos para que ele possa exercitar sua mente, como palavras cruzadas ou partidas de xadrez e damas, aprender um novo instrumento ou uma nova língua. 

Fazer atividades físicas

Realizar exercícios físicos também é importante para a saúde do idoso. O exercício melhora a capacidade cognitiva e ajuda, ainda, com a qualidade do sono, da respiração e no controle do estresse e da ansiedade.

Caminhada e hidroginástica são alguns desses exercícios. A escolha vai depender do perfil da pessoa, do que ela gosta mais e da recomendação médica sobre o impacto de cada modalidade na saúde do idoso, e deverá ser acompanhado por um profissional capacitado.

Cuidar da alimentação

Ter uma alimentação saudável e que forneça os nutrientes essenciais para o funcionamento adequado do corpo também é uma importante forma de prevenção de demências. 

É muito importante priorizar os alimentos in natura e evitar os industrializados, além de diversificar nas escolhas dentro de um mesmo grupo de alimentos e no modo de preparo. Alimentos ricos em “gorduras boas”, como ômega 3, presente em peixes, são bons aliados para a saúde do cérebro.

Algumas adaptações podem ser necessárias, considerando as alterações fisiológicas associadas ao envelhecimento, por isso, o ideal é que seja feito um acompanhamento com o profissional nutricionista, para que o planejamento alimentar seja adequado às necessidades de cada um.

Qual a importância do acompanhamento médico?

Além de diagnosticar o quadro de demência no idoso, o profissional responsável indicará o uso de medicamentos próprios para a pessoa, com base em seu histórico, quando necessário. A partir disso, há chances de retardar a síndrome.

E quando for associada a outras enfermidades, por exemplo, o foco será em tratá-las. Independentemente de qual seja o caso, a aproximação entre médico e familiares é essencial para o tratamento. 

É importante que a família relate para a equipe de saúde, com exatidão, as suas condições em que o idoso se encontra. Durante o tratamento, principalmente se for oferecido algum medicamento, ela deve relatar, ainda, quais foram os avanços, bem como se houve algum efeito colateral, para que sejam realizados reajustes.

Familiares ainda devem estabelecer algumas mudanças de hábito e rotina, visando principalmente reduzir os efeitos da demência.

Neste material, você pôde entender o que é a demência em idosos, quais são as suas características, prevenção e como o acompanhamento médico, e de outros profissionais de saúde, é um importante aliado para trazer mais qualidade de vida e bem-estar ao idoso.

Se quiser se aprofundar em outros tópicos, continue no blog e entenda sobre hipertensão e diabetes na terceira idade.

Referência:

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Vamos Conversar sobre Demência é o tema do Dia Mundial da Doença de Alzheimer e Dia Nacional de Conscientização da Doença de Alzheimer 2019. 2019. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/ultimas-noticias/3035-vamos-conversar-sobre-demencia-e-o-tema-desse-21-9-dia-mundial-da-doenca-de-alzheimer-e-dia-nacional-de-conscientizacao-da-doenca-de-alzheimer>. Acesso em 08 Abr. 2021.

NASCIMENTO, H.G.; FIGUEIREDO, A.E.B. O idoso com demência na atenção primária: Revisão integrativa da literatura. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, v.23, n.2, p.51-71, 2018. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/RevEnvelhecer/article/view/76611/52446>. Acesso em: 08 Abr. 2021.

FREITAS, E.V, et al. Manual Prático de Geriatria. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2018.

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE GOIÁS. Demência. 2019. Disponível em: <https://www.saude.go.gov.br/biblioteca/7595-dem%C3%AAncia>. Acesso em: 08 Abr. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL – NÚCLEO DE TELESSAÚDE. Drop News – Demência na Atenção Primária: do que estamos falando?. 2019. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=vKvvzi70aFw>. Acesso em 08 Abr. 2021.

Postagens Relacionadas

Médico do Hospital Márcio Cunha alerta sobre a privação do sono que pode levar a distúrbios como depressão, insônia e apneia. O sono adequado…
Rolar para cima
Pular para o conteúdo